Ban

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Milagre: campanha de Jatene foi mais barata que a de Ana Júlia em 2006. Até programas de rádio e Tv custaram menos.



É incrível, absolutamente espantoso, mas, rigorosamente verdadeiro: o governador eleito do Pará, Simão Jatene, afirmou à Justiça Eleitoral que a campanha dele foi mais barata que a de Ana Júlia Carepa em 2006 - e por pouco não custa o mesmo de 2002.
É isso mesmo: enquanto a franciscana campanha de Jatene ao Governo do Estado, no último mês de outubro, teria consumido apenas R$ 5.310.903,37, a campanha de Ana Júlia ao mesmíssimo cargo, em 2006, teria ficado em R$ 5.238.462,45 – ou em mais de R$ 6,353 milhões, em valores atualizados pelo IPCA de julho deste ano. 
Já em 2002 as despesas de Jatene teriam somado R$ 2.604.050,37, ou o equivalente hoje a mais de R$ 4,3 milhões.
E tudo isso, vale salientar, são apenas os gastos que foram declarados por Jatene e Ana Júlia à Justiça Eleitoral.
E mais: em 2006, a campanha de Ana Júlia foi feita contra a máquina e com parcos recursos, exatamente como teria acontecido agora com Jatene.
Já em se tratando de 2002, a melhor leitura é esta: Jatene gastou R$ 2,604 milhões apesar de galopar alegremente a máquina – tanto assim que até hoje responde a processo por suspeita de distribuir dinheiro a rodo às prefeituras paraenses, no período eleitoral.

Queimão de rádio e TV
Por incrível que pareça, até os programas de rádio e TV saíram mais baratos para Jatene neste ano, do que para Ana Júlia em 2006.
Em 2006, ela gastou R$ 1.687.633,33 com esses programas – ou mais de 2,046 milhões em valores atualizados.
Já o Comitê Financeiro Único do PSDB do Pará, que pagou 99% das despesas da campanha de Jatene, declarou gastos de apenas R$ 1,462 milhão com os programas de rádio e TV, conforme a última atualização de dados do TSE.
(Em 17 de dezembro, quando este blog postou a matéria sobre a aprovação das contas de Jatene, a soma desses gastos era ainda menor: apenas R$ 1,274 milhão. Veja aqui: http://pererecadavizinha.blogspot.com/2010/12/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html ).
Note que esses valores se referem aos gastos do Comitê. Ou seja, incluem as despesas de Jatene, mas, possivelmente, também as do senador Fernando Flexa Ribeiro, cujas contas de campanha não mencionam qualquer pagamento por tais programas.

Veja os gastos de Ana Júlia em 2006, e os de Simão Jatene em 2010, com os programas de rádio e TV.

Ana Júlia (2006): R$ 1.687.633,33 (ou 2,046 milhões, pelo IPCA de julho).
Amazon Filmes S.S. Ltda: R$ 130.800,00
Contromídia Norte Ltda: R$ 2.000,00
Digital Produções: R$ 1.099.500,00
Double M: R$ 7.000,00
Fernando A. Penna de Carvalho – ME: R$ 30.000,00
IK Barros & Cia Ltda: R$ 240.000,00
Pará Rural Propaganda e Marketing Ltda: R$ 85.000,00
Studio C Produções de Fonogramas Ltda: R$ 43.333,33
Vanguarda Comunicação: R$ 50.000,00

Jatene (2010): R$ 1.462.000,00
Griffo Comunicação e Jornalismo Ltda: R$ 261.000,00
Imagem Produções e Serviços Ltda: R$ 198.000,00
João Sílvio P. de P. Gonçalves Junior: R$ 47.000,00
L. F. Publicidade Promoções e Produções Ltda: R$ 10.000,00
Nova Comércio e Produções de Áudio Ltda: R$ 228.000,00
Sérgio Luís Fernandes Montoya - ME: R$ 14.000,00
3D Produções Ltda EPP: R$ 700.000,00
Contromídia Norte Ltda: R$ 4.000,00

Preços baixos também do lado de lá.
Agora em 2010, Ana Júlia declarou ter gastado apenas R$ 2,150 milhões com seus programas de rádio e TV.
É pouco – muito, muito pouco, até pelo tempo de TV de que dispôs e pela estrutura mobilizada pela Link Propaganda, a agência baiana responsável por todo o marketing da candidata.
Mesmo assim, as despesas declaradas por Ana Júlia ao menos equivalem às de 2006 e superam em mais de meio milhão as de Jatene, que, apesar de não ter a máquina, teve ao seu lado duas excelentes empresas paraenses: a Griffo e a 3D.
E mais: apesar dos pesares, o candidato do PT ao Senado, Paulo Rocha, declarou um pagamento de R$ 90 mil à OMG Comunicação Total, pela produção de programas de rádio e TV.
Veja os gastos de Ana Júlia com esse item agora em 2010.

Ana Júlia (2010). Produção de programas de rádio e TV: R$ 2.150.000,00
Amazon Filmes S.S Ltda: R$ 150.000,00
Fernando A Penna de Carvalho - ME: R$ 650.000,00
Link/Bagg Comunicação e Propaganda Ltda: R$ 1.150.000,00
M C Barros e Cia Ltda: R$ 200.000,00

Lição de economia: o espantoso preço dos carros-som
Mas quando se fala nas despesas de propaganda de Jatene, o que mais chama a atenção é mesmo o gasto impossivelmente baixo com a publicidade através de carros-som (leia a matéria citada acima).
As despesas declaradas pelo Comitê Financeiro Único do PSDB paraense, que eram de R$ 74.231,00, ficaram em R$ 79.521,00, pela última atualização do TSE.
Pois muito bem: além do que já consta na matéria anterior, a Perereca ainda descobriu que esse valor é menos da metade do que Ana Júlia gastou em 2006: foram R$ 192.600,00 naquele ano – ou R$ 233.585,00, em valores atualizados.
Mais: naquele ano, o menor pagamento registrado por Ana Júlia pela propaganda em carro-som foi de R$ 1.000,00.
No entanto, agora em 2010, entre os 40 pagamentos realizados pelo Comitê Financeiro Único do PSDB, para serviços de carros-som, 35 estão abaixo desse patamar.
Há caso de gente, aliás, que teria recebido apenas 100, 200 ou 400 reais.
E mais: as despesas do Comitê são inferiores até as do senador tucano Fernando Flexa Ribeiro, que gastou mais de R$ 182 mil com a publicidade via carros-som; ou até que as do também tucano Sidney Rosa, eleito deputado estadual, que gastou quase R$ 140 mil nesse item – e o menor pagamento realizado por ele foi de R$ 4 mil.
Mais: a maior despesa do Comitê foi com a Guarany Serviços, que recebeu pouco mais de R$ 50 mil.
E, no entanto, a empresa cobrou R$ 43 mil do deputado estadual reeleito Alexandre Von (PSDB); e outros R$ 66,5 mil do deputado federal dos Democratas Joaquim de Lira Maia, pelo mesmíssimo serviço.
Veja os gastos de cada qual:

Ana Júlia, 2006. Gastos com carros-som: R$ 192.600,00 (ou R$ 233.585,00)
Evandro de Campos Almeida: R$ 1.000,00
Haroldo Miranda Fonseca: R$ 1.000,00
João Almeida dos Santos: R$ 1.000,00
João Maria Barral Botelho: R$ 1.000,00
Madson Santos da Silva: R$ 1.000,00
Raphael Almeida da Conção: R$ 1.000,00
Reginaldo Bernardes Pacheco: R$ 1.000,00
Robson Gualberto Ferreira Ribeiro: R$ 1.000,00
Rubens dos Santos Araújo: R$ 1.000,00
Ironaldo de Jesus Ribeiro a de Oliveira: R$ 49.600,00
Som & Cia Ltda: R$ 134.000,00

Jatene(Comitê Financeiro Único) – Despesas com carros-som em 2010: R$ 79.521,00
Adriano Hermes Gomes Monteiro: R$ 400,00
Alessandro Passos de Carvalho: R$ 100,00
André Ricardo Bentes Tavares: R$ 910,00
Davi Vieira Mendes: R$ 400,00
Dawison Willer Pereira Reis: R$ 400,00
Diego Afonso Gonçalves: R$ 180,00
Edilson Gomes Dantas: R$ 1.000,00
Edilson Oliveira: R$ 800,00
Etevaldo Mascate de Souza: R$ 200,00
Fátima dos Santos Farias: R$ 800,00
Francisco Everton de Oliveira Filho: R$ 800,00
Guarany Comércio e Serviços Ltda: R$ 50.085,00
Ivonaldo Ribeiro Alves de Oliveira: R$ 850,00
Jackson Arlan Pinheiro Machado: R$ 350,00
 Jivanildo de Oliveira Carmo de Souza: R$ 1.280,00
João Batista Cardoso Móia: R$ 514,00
João Batista Matos Pinheiro: R$ 6.000,00
João Paraense Bezerra Junior: R$ 900,00
José Raimundo Barreto Palheta: R$ 400,00
João Zacarias Alves dos Santos: R$ 980,00
Jorge Marcelo Praça Barbosa: R$ 800,00
José Daniel: R$ 400,00
José Eduardo Moraes de Oliveira: R$ 400,00
José Jorge da Silva Junior: R$ 840,00
José Veloso Melem: R$ 300,00
Manoel Ribeiro da Silva: R$ 400,00
Miguel Brito: R$ 400,00
Miguel Bulhões Carvalho Melo Rodrigues: R$ 360,00   
Nivaldo Campos da Costa: R$ 800,00
Nilson Carlos Soares de Aguiar: R$ 400,00
 Oberdan Furtado Bezerra: R$ 630,00
Paulo Robson de Sousa Trindade: R$ 900,00
Pedro Alves: R$ 800,00
Raimundo Desterro de Souza Katari: R$ 900,00
Rosiney Reimão do Carmo: R$ 792,00
Sandro Henrique Aragão: R$ 600,00
Sérgio Raimundo Valente Meireles: R$ 400,00
Taicilene Moraes de Lima: R$ 150,00
Tereza da Silva Farias: R$ 900,00
Wilson Mendes: R$ 1.000,00

Gastos de Flexa Ribeiro com carros-som em 2010: R$ 182.540,00
Parabel Comercial Ltda: R$ 176.000,00
Paulo Sérgio Setubal: R$ 1.540,00
Wilson de Oliveira Filho: R$ 5.000,00

Gastos de Sidney Rosa com carros-som em 2010: R$ 139.900,00
Antonio Silvane Rodrigues dos Santos: R$ 5.600,00
Ezequias da Silva Lima: R$ 10.800,00
João Batista Martins: R$ 24.000,00
José Elcias Lima Medeiros: R$ 10.800,00
José Pimentel dos Santos: R$ 10.800,00
Lúcia Neves Pena: R$ 4.000,00
Manoel Marcos Rodrigues Santos: R$ 10.800,00
Natanael Jardim Vieira: R$ 6.000,00
Orione Dantas Teotônio: R$ 7.000,00
Osias Reis Gouveia: R$ 10.800,00
Paulo Sérgio Silva do Carmo: R$ 24.000,00
Valterly Sousa de Oliveira: R$ 15.300,00


Entra Ney Messias
Quando fiz a primeira matéria sobre os gastos do Comitê Financeiro Único o total de despesas estava em R$ 8,975 milhões; hoje elas alcançam R$ 9,547 milhões. A variação da receita foi menor: apenas R$ 10 mil para mais.
Com os ajustes nas contas do Comitê surgiu mais um fornecedor de serviços: o jornalista Ney Messias, que recebeu R$ 120 mil para a criação e inclusão de páginas na internet.

Também houve alterações – mas, pequenas – nos fornecimentos gráficos. Os principais, porém – a Halley Gráfica (tem matéria abaixo) e a Anna’s Serviços e Comércio - permaneceram inalterados.

A Perereca volta antes do final do ano com o listão dos fornecedores de combustível, transportes e alimentação de Jatene.

Para que, a partir de janeiro de 2011, a gente possa acompanhar religiosamente o Diário Oficial.


Perereca da Vizinha: tudo o que você sempre quis saber sobre os tucanos, mas teve vergonha de perguntar!


FUUUIIIIIII!!!!!!!!

19 comentários:

Anônimo disse...

Pelo que eu percebi lendo esse seu comentário imagino que os gastos com carro som foram feitos principalmente pelos candidatos a deputado, o que seria normal em se tratando de uma campanha como foi a do governador Simão Jatene; assim os deputados é que levaram a mensagem do governador via carro som, trata-se de um caso típico de campanha casada. Eu só não entendo é como você só especula pro lado do absurdo e só para um lado, credo!

Anônimo disse...

não entendi que mal tem em ser fornecedor de campanha?afinal você também forneceu pra campanha do jatene..por falar nisso,essas informações de fornecedores você conseguiu porque todos emitiram notas ficais.E o seu trabalho para os tucanos foi pago como? você emitiu nota fiscal ou sonegou seus lucros?você sonega imposto,perereca? se você mesma afirmou que trabalhou para a campanha do Jatene, cadê suas NF no meio desses fornecedores que você listou?
esperando as informações da perereca palmatória do mundo

Anônimo disse...

Perereca, ninguem é melhor que voce que trabalhou na campanha do Jatene para ver que não tinha dinheiro para gastar, o9 dinheiro era curto, muito curto mesmo. Me admira que em vez de voce pesquisar por exemplo as contas da Pará 2000, os escandalos da Seduc e por fim os escandalos que são muitos deste desGoverno que hora se extingue. Voce tambem fazia parte da ABCB - Associação dos Blogs Chapa Branca, que era financiada pela Ana Julia para falar somente bem deste desGoverno da sua amiga Ana Julia.

Bia disse...

bo noite, Ana:

umas (é, plural) hérnias de disco têm me deixado fora do micro há dois meses. Assim, minhas "sentadas" são muito raras e pontuais, neste período.

Hoje, com um recreio maior do que nos outros dias, fui me atualizando nos blogs que acompanho e estou surpresa com a Perereca.

Não, não vou nivelar meu comentário aos esdrúxulos que li, parcimoniosamente, em alguns posts abaixo. Os que lembro são fruto da insanidade política, de todos os lados.

Mas, neste momento, quando o governo que sai deixa rastros, no mínimo, duvidosos, comete atrocidades com nomeações espúrias já com a mão no interruptor, porque o foco no governo que entra?

Sobre o governo que virá, muitas questões estão sendo colocadas na rede, Ana. Sem vergonha de ser feliz. Menos aqui.


Abração.

Anônimo disse...

Perereca pq o Jader pessoalmente vetou o Ronaldo Brasiliense para a Secom? Conta essa pra gente... Até terno o cara já tinha comprado para a posse e com a ajudinha de uma coleguinha lá do Diário.

Anônimo disse...

Perereca,

Você não está considerando que em contrapartida à campanha do Jajá existiu a Anti-campanha da rejeitadíssima Ana Júlia. Na contabilidade geral, passando a régua, acredito que é factível o baixo custo da campanha de qualquer um que fizesse oposição à desastrada ex-governadora que mesmo com toda grana da máquina só fez "cavar a cova" da sua candidatura. Quando se cava um buraco fica sempre um monte de terra ao lado, sacou ?

Anônimo disse...

Ney Messias será o novo secretário de comunicação do Pará

está foi a manchete da ORM em primeira mão às 14h. Isso que é privilegiar a informação. O pior antes do anúncio do governador eleito Simão Jatene. Assim não tem combate; Personalismo puro. Aguentamos nós !!!

Anônimo disse...

Cara Perereca,

Parabéns !

Abatestes , em plena corrida , o "Totó do Orly ".

Agora , mana , é um tar de agitador cultural ..., cumu é qui pode?

Quem sabe dele é o TCE...

Anônimo disse...

Quer dizer que este "aparecildo" é demitido a bem do serviço público e agora volta como titular da SECOM?????!!!

É um descalabro msm...

Pererca, assim como vc agiu como o Totó do Orly, devia investigar como está o processo do Sr. Neyl Emil Conceição, demitido a bem do serviço público e respondendo à processo em decorrência do convênio com a ORM !!!

Ana Célia Pinheiro disse...

Anônimo das 12:04:

Desconheço essa história de o Ney ter sido demitido "a bem do serviço público".

O que aconteceu, se não me falha a memória, foi que o PT tentou "desfazer" as exonerações do Ney e do Nélio Palheta, que aconteceram já no final do governo do Jatene, para transformá-las em demissões a bem do serviço público, devido ao convênio da Funtelpa.

No entanto, houve, na época, uma série de protestos, por parte do Lúcio Flávio Pinto e de outras pessoas - e eu também estava nesse bolo - simplesmente porque isso seria um absurdo.

Quer dizer: iam punir o Ney e o Nélio, mas deixar de fora os verdadeiros "autores" desse convênio?

Iam perseguir essas duas pessoas, esses dois profissionais – e era, sim, perseguição - até “reescrevendo” os motivos das exonerações deles (veja só que coisa mais arbitrária...), para usá-los como bois de piranha?

Lembro que, na época, até escrevi que nem o Nélio nem o Ney são bandidos, para serem tratados dessa maneira.

São quadros partidários - simplesmente isso. Não são operadores e nem se prestam a outros serviços sujos, até onde sei.

São, apenas, militantes - e daí? Não temos todos o direito de lutar por uma determinada proposta partidária? Não é democrático que qualquer um de nós possa “vestir a camisa” que bem lhe apetece? Ou será que só é Democracia quando alguém “veste a camisa” na qual acreditamos?

Então, na época, esse absurdo de reverter as exonerações deles foi abortado. O PT recuou e nunca mais se falou nisso.

E se não deu nem para aplaudir tal recuo é porque, na verdade, esse negócio de reverter exoneração nem sequer deveria ter sido cogitado.

Respeito o Nélio, mas não gosto dele – já tivemos inúmeras desavenças. Dou-me bem melhor com o Ney – mas também não espero nenhum favor dele, ou desse governo que está aí.

Então, o que estou a escrever não tem rigorosamente nada de pessoal: é simplesmente uma questão de justiça.

Justiça a dois militantes – como todos somos e como toda a população brasileira, aliás, deveria ser.

Um abraço e obrigada pela participação.
Ana Célia

Ana Célia Pinheiro disse...

Anônimo das 11:13:

Não estou dizendo que há “mal” em fornecer serviços a quem quer que seja durante uma campanha eleitoral.

Agora, não entendo o porquê de algumas pessoas estarem tão revoltadas com o fato de este blog estar mostrando os fornecimentos da campanha de Jatene. São dados públicos, justamente porque de interesse público!

Não estou a falar de serviços para a minha mãe, mas de serviços para o sujeito que vai administrar o Governo do Estado, o dinheiro de todos nós!

Então, se os valores de tais fornecimentos parecem muito abaixo do real, é preciso saber, sim, o porquê disso.

Não quero ser “palmatória do mundo”, anônimo. Apenas faço o meu trabalho, como jornalista.

E o que você deveria perguntar não é por que eu faço isso, mas por que os meus colegas não fazem o mesmo.

Quanto ao que recebi, presumo que isso esteja nas contas da Griffo, já que o meu nome realmente não consta na lista de fornecedores.

Um abraço pra você.
Ana Célia

Ana Célia Pinheiro disse...

Anônimo das 5:26:

Ou você não acompanha este blog, ou usa de má fé.

Casos como o Hangar, a Delta Construções, a explosão das diárias de viagem e a contratação da Link Propaganda, por exemplo, apareceram em primeiro lugar aqui na Perereca. Algumas dessas reportagens – todas exclusivas – até renderam matérias em jornais nacionais.

A própria configuração da DS e as loucuras por ela cometidas também apareceram pela primeira vez aqui neste blog – que também não poupou Ana Júlia ao mostrar o erro que cometeu em sua opção preferencial pela DS.

Agora, o que este blog nunca fez foi a coisa sórdida, machista, doentia, de atacar a vida pessoal da governadora.

Isso eu não faço, anônimo. E se você acha que não recorrer a essa imundície é ser chapa branca, então, mil vezes ser chapa branca.

O que publico tenho documento pra provar. E não estou nem aí pra vida pessoal de quem quer que seja. Só me interessa é esse dinheiro que o Imposto de Renda me garfa, dessa porcariazinha que eu arranjo pra me sustentar, todo santo mês.

E quanto ao dinheiro que você diz que eu recebia da Ana Júlia pra não falar mal dela, se você encontrar, por favor, deposite na minha conta: eu pago o imposto e fico com o resto, sem problema nenhum...

Um abraço,
Ana Célia

Ana Célia Pinheiro disse...

Oi, Bia:

Em primeiro lugar, meus parabéns, “visse”?

Há três nomeações no novo governo que me deixaram extremamente feliz: a sua, a do doutor Hélio Franco (esse monumento técnico e ético em forma de gente) e a do José Alberto Colares, no Ideflor – égua do sujeito bacana! (e você deve saber o quanto o Colares é um sujeito bacana, né? Bom caráter, competente, cheio de idéias e extremamente honesto).

Quanto a você, Bia, além dessa convivência bem legal na blogosfera, conheci o trabalho extraordinário que você fez no Raízes. E tenho pra mim que o Idesp vai dar um enorme alto de qualidade com você por lá.

Quanto à minha opção por acompanhar atentamente desde o começo o governo do Jatene ela se deve a uma questão bem prática: eu sou só uma e este blog não me dá dinheiro – muito pelo contrário.

Quer dizer: tenho de me sustentar e ainda arranjar tempo para reportagens investigativas, que dão um trabalhão.

Quando a Ana Júlia estava no governo, acompanhei a administração dela – e estão aí os arquivos do blog que não me deixam mentir. E até processada, por causa de uma dessas matérias, estou a ser.

Na verdade, Bia, penso que estou a fazer com o governo do Jatene o que deveria ter feito com o governo da Ana – que só comecei a acompanhar praticamente em 2008.

Em 2007, ainda segui revirando os governos tucanos. Mas hoje eu vejo que isso não levava a nada. Porque o que importa é acompanhar o dia a dia do governo que está no poder, pra tentar diminuir o prejuízo de todos nós.

E acho até que quem me fez ver isso foi a Tereza Cordovil, já no final de 2007, quando fui fazer uma matéria sobre os tucanos e ela me disse uma coisa mais ou menos assim: a gente tá é se concentrando no presente, porque a gente não tem pernas pra tudo e tem é de evitar que determinadas coisas se repitam.

E eu fiquei pensando nisso. Até porque depois que o dinheiro público sai, você não consegue recuperá-lo. O maior nível de recuperação de dinheiro público mal gasto é o do Rio Grande do Sul – e só chega a 3,5%...

E eu tenho visto que os blogs, em sua maioria, continuam voltados para a Ana Júlia. Praticamente mais ninguém se voltou para o Jatene – só a Perereca. Até porque é complicado fiscalizar um governo que está apenas começando e que pode permanecer oito anos no poder, né?...

E esse trabalho que estou a fazer, Bia, na verdade é a base de todo o acompanhamento posterior.

Um trabalho, como já disse, que deveria ter feito em 2007. E que não fiz porque cometi o erro (um enorme erro, para um jornalista) de me envolver com o governo, de ir trabalhar no governo – coisa que decidi não fazer agora, porque, graças a Deus, aprendo, sim, com os meus erros.

Brigadão pela sua visita, e novamente parabéns.

Espero que você melhore da coluna e que possa nos brindar com um trabalho tão maravilhoso como aquele que você realizou no Raízes. O Pará merece alguém como você no comando do Idesp, Bia.

Um abração,
Ana Célia

Ana Célia Pinheiro disse...

É, anônimo das 4:25, eu também “subi” desse veto do Barbalhão ao Ronaldo. O que me disseram é que El Barbalhon teria dito ao Jatene que ficava complicado participar de um governo com tal secretário... A fonte é boa, mas não chequei com outras fontes – daí que não posso afirmar que isso seja verdade. Mas, se for, vou pedir uma foto autografada do Barbalhão pra pendurar no meu quarto...
Abraços,
Ana Célia

Ana Célia Pinheiro disse...

Mesmo assim é muito pequeno o custo da campanha do Jatene, anônimo da 1:38. Até porque campanha consome muita grana – as pessoas não têm nem noção. É tudo muito caro, até porque é um risco você apostar em alguém – e se o cara perde? Como é que você fica, durante quatro anos, no governo do opositor dele?
O que eu acho é que esses absurdos nas contas do Jatene só demonstram a urgência do financiamento público de campanha.
Tem que acabar com esse negócio de particular financiando campanha do futuro governante. E o pessoal tem de parar de aloprar; tem de parar de declarar custo baixo, só pra dizer que gastou menos que o outro.
Qual o problema em declarar direitinho o que gastou? Caramba, até chama menos a atenção!
O cara vai te dar uns impressos a mais? Coloca como doação - qual o problema?
Mas de tanto driblarem a Lei parece que as pessoas já desenvolveram uma espécie de compulsão por isso, né?
Só pode ser compulsão, mano. Porque não tem outra justificativa pra você cometer tantos absurdos e tão bestamente numa simples declaração de gastos de campanha, né?
Um abração,
Ana Célia

Ana Célia Pinheiro disse...

Anônimo das 7:14:

Obrigada, mas não acho que fui responsável pela “queda” do Ronaldo – isso seria muita pretensão da minha parte.

Já ouvi dizer – e até comentei há pouco – que foi o próprio Barbalhão quem vetou o Ronaldo.

Penso, ao fim e ao cabo, que o que prevaleceu foi o bom senso.

Não sei se o Jatene tinha, de fato, a intenção de nomear o Ronaldo como secretário de Comunicação.

É possível que isso tenha sido apenas um balão de ensaio do próprio interessado, ou até que o Jatene tenha resolvido sacanear com alguém, né?, com toda essa história. (Mas comigo, com certeza, é que não foi, porque eu já estava era pronta pra disparar uma bela bateria de mísseis. Tava só esperando o anúncio oficial – uma pena!...)

Creio, porém, que o Jatene teve um belo discernimento: percebeu que o Ronaldo não tem a necessária POSTURA para assumir uma Secretaria de Comunicação.

Ele pode ser bastante útil numa “guerra”, mas não em um governo – e menos ainda em um governo que pretende unir, em vez de desagregar.

Acho que o Ney é um sujeito com muito mais jogo de cintura.

Como até já escrevi em uma caixinha de comentários do blog, é um sujeito bem resolvido, de bem com a vida, que não parece ter saco pra ficar perseguindo os outros ou plantando toda sorte de baixarias contra os adversários.

Se o Ney vai dar certo como secretário de Comunicação, só o tempo vai dizer.

Mas experiência na área ele tem. Além desse perfil bem mais flexível, o que é, certamente, uma grande vantagem.

Porque um secretário de Comunicação é quase que um diplomata.

Ele não tem de viver fazendo futrica: tem é de abrir as portas, nos veículos de comunicação e em todas as instâncias sociais, para o governo.

Ou, em outras palavras: ele tem de ser um bom negociador, até pra poder “vender o peixe” do governo que representa.

Até hoje quem mais se aproximou desse perfil foi o Paulo Roberto Ferreira. O Nélio era soberbo, buocrático e antipático. O Fábio Castro não entendia patavina disso.

Então, vamos ver como é que se comporta o Ney.

Um abração,
Ana Célia

Anônimo disse...

e os 50 mil que ganhastes da campanha do jatene. com ou sem nota fiscal

Anônimo disse...

Ana, que está acontecendo? Li no Jornal Liberal de hoje(domingo)um artigo do Ronaldo Maiorana, sobre as expectativas para o governo Jatene, nada promissoras. Qual a tua avaliação sobre o artigo?

"O Provocador"

Guto Lobato disse...

Concordo com teu questionamento sobre a campanha, Ana.

Mas, certamente, há que se levar em conta a campanha "indireta" que candidatos ao legislativo fizeram com carros-som a favor de Jatene. Aliás, é o que outros comentaram acima: perto dos gastos exorbitantes (e algo desesperados) da Ana Júlia para tentar se salvar do poço que cavou junto à DS, qualquer campanha parece barata... foi, de fato, das mais caras e megalomaníacas do Brasil.

No mais, parabéns pelo blog e pela iniciativa. Realmente, bater na Ana Júlia é "moda" nos demais blogs de jornalistas do PA e, claro, é bom ver que o PSDB não é santinho algum. É, talvez, bem mais ético que a DS e o gov. 2007-2010 do PT... mas nem por isso está a salvo de alguns desvios e erros em sua campanha.

Espero não quebrar a cara, mas penso como você: esse governo terá, dentro e fora de sua estrutura técnica, ambiente favorável para consolidar um Estado melhor. Sobretudo nas áreas de saúde e segurança!

Beijos e um ótimo 2011,
Guto.