Ban

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O destemperado “marqueteiro” Édson Barbosa

Digam o que disserem, a verdade é uma só: o marqueteiro baiano Édson Barbosa é visita. E visita não arma barraco. A não ser que, por extremamente grosseira, não respeite a casa alheia.

Na verdade, a própria presença de Édson Barbosa e sua “troupe” no comando da campanha de reeleição da governadora Ana Júlia Carepa já é enorme grosseria em relação aos paraenses.

É verdade que somos um povo bairrista. Mas, também é fato que temos aqui excelentes profissionais de Marketing, Propaganda e Jornalismo.

Temos agências de propaganda e marqueteiros premiados nacionalmente, sem falar nos grandes jornalistas paraenses que brilham em São Paulo, Brasília e até no exterior.

Daí a dificuldade de compreendermos o porquê dessa enorme quantidade de profissionais de fora para atuar na campanha da governadora do Pará.

Talvez pela nossa ascendência indígena e lusitana, os paraenses recebemos de braços abertos os cidadãos de outros estados. Especialmente, aqueles que retribuem, com respeito e amor a esta terra, toda a generosidade com que são tratados.

O que não gostamos é de carapanãs.

O que não aceitamos é a soberba, o olhar de cima em relação a nós.

O que nos irrita é desfazerem da nossa capacidade profissional.

Nos grandes projetos que se instalaram no Pará, cansamos de ver coisas assim.

Os melhores empregos, os melhores salários, as melhores condições de trabalho eram reservadas aos carapanãs. Ao passo que para nós restavam, apenas, as ocupações mais ingratas.

Mas nós, os paraenses da gema e os paraenses por adoção, já não aceitamos esse tipo de tratamento. E muito menos que confundam a nossa boa educação com “inferioridade”.

Somos bairristas, os paraenses da gema e por adoção? É verdade.

Mas tenho certeza de que os baianos reagiriam da mesmíssima forma, se levassem daqui toda uma equipe para realizar a campanha de um candidato ao Governo da Bahia.

Embora tenha certeza de que os paraenses que chegassem à Bahia agiriam com toda a civilidade do mundo. Certamente que não armariam barracos na casa alheia. E nem chamariam, por qualquer motivo que fosse, de “vagabundos” aos trabalhadores baianos.

Até porque, ao contrário do que pensam alguns, somos, sim, um povo muitíssimo inteligente.

Se Édson Barbosa não gostou do fato de um cinegrafista da equipe de Jatene filmar uma entrevista de Ana Júlia, havia alternativas de sobra para resolver isso de forma civilizada.

Ele poderia, por exemplo, ter pedido que o assessor de imprensa de Ana Júlia conversasse com o cinegrafista. Ou poderia até ter solicitado a intervenção da direção da Record, caso alguma regra do debate estivesse, de fato, a ser violada.

O que Édson Barbosa jamais poderia ter feito era tentar impedir na marra aquela filmagem.

E, muito menos, destilar ofensas contra o povo que, ainda que a contragosto, o tem generosamente acolhido.

As fotos do jornal Diário do Pará deixam patente todo esse destempero: nelas, Barbosa tem de ser contido por seus companheiros.

Triste atitude essa, para quem se pretende um “marqueteiro”, um “estrategista” de marketing.

E triste escolha a de uma candidata que coloca seu destino político nas mãos de pessoas assim.


FUUUIIIIIII!!!!!!!

23 comentários:

Anônimo disse...

Issão vo não vai ficar assim não! No dia 31 a gente dá o troco!

Anônimo disse...

De pessimo essa sua defesa do "BAIRRISMO", inclusive tentando manipular os fatos.

Tucano acha mesmo que Baiano é igual a Bandido (vide Serra).

Tiberio Alloggio

Anônimo disse...

O que significa essa estrela vermelha com um 13 no seu endereço eletrônico ???????????????????

Anônimo disse...

Faz de conta que eu não li isso, tá perereca? E eu voto Jatene!

Anônimo disse...

Peraí, pelo seu bairrismo, quer dizer que nossos marqueteiros tem que ficar trabalhando só em Belém, não devem ir com suas equipes fazer campanha em outros estados. Como o grande Chico Cavalcante esta fazendo brilhantemente no Amapá.HomemBarba

Miguel disse...

Penso que toda discussão deve ser analisada pelos seguintes pontos de vistas:
Origem, qual foi o fato que a originou?-Aqui fica claro que foram os coordenadores do grupo de Jatene. Não culpo o cinegrafista, pois este profissional quando está à serviço de alguém cumpre apenas o que lhe é orientado/ordens.

Protagonistas:
Cinegrafista de Orly, o próprio Orly Bezerra"marqueteiro" de Jatene, Édson Barbosa"marqueteiro" de Ana Júlia, e TV RECORD.

Ocorrência(os fatos):
O Cinegrafista utilizando sua ferramenta de trabalho em vez, de se direcionar ao Candidato Jatene, posiciona-se para filmar Ana Júlia, ação totalmente descabida, tendo sua lente bloqueada pela mão de Maurílio Monteiro, e logo em seguida ao telefone Édson Barbosa surpreso pela atitude coloca sua mão também para impedir a gravação, pedindo ao cinegrafista para se dirigir ao Candidato Jatene(como Ana Júlia, era entrevistado). Até este momento tudo certo, pois ninguém ainda havia agredido ou colocado as mãos no equipamento, impediam a filmagem sem tocar em nada. No entanto, ouve-se a voz de Orly Bezerra ao fundo com se dirigindo à confusão instalada, sob os pedidos de Édson Barbosa para que parassem de filmar sua cliente e a ele próprio.Neste momento, o senhor Orly Bezerra, tinha todas ferramentas para apaziguar os ânimos, mas infelizmente manteve sua estratégia de ferir seu colega de profissão com impropérios e palavras nada educadas, agindo como se fosse um torcedor da geral de campo de futebol mal educado.
Abraços!
Miguel Arcanjo

Anônimo disse...

Um trabalho desta envergadura precisa de isenção, o que se leva a buscar a nível de Brasil profissionais que possam assumir o compromisso de seguir seu propósito até a vitória ou derrota.

Miguel disse...

Cara Ana Célia, não estou apresentando meu comentário, para depreciar e muito menos para apoiar Jatene ou Ana Júlia, mesmo porque não sou eleitor deste Estado. Apenas observando os fatos "in loco" e agora no youtube (barraco após debate da Record), pude melhor expor minha opinião ao ocorrido e para melhor apresentá-la
sugiro que publique este comentário, mesmo que não seja de seu interesse pois, espero que este blog tenha sido criado para que possamos expressar nossas impressões, idéias, sugestões e principalmente opiniões.
Mas o que me tocou de maneira profunda e desconfortável, foi e será a expressão "bairrismo"(Diz-se de ou pessoa muito afeiçoada ao seu bairro ou à sua terra). Sou paraense(retornei este ano)e morava em Campinas-SP, fui como muitos buscar melhores ensinamentos e conhecimentos no exterior para aplicá-los no Brasil. Ser “bairrista” não quer dizer o mesmo que ser totalmente “tapado” (Que não tem abertura para o exterior), havemos de compreender as limitações de cada ser humano e suas tendências profissionais, o nosso Estado do Pará e seu povo sempre foram propensos a serem explorados, se formos observar a história até bem recente poderemos encontrar diversos fatos para compreender o que escrevo. Pois bem, obstante aos fatos que cada presidente republicano neste país contribuiu com seu desenvolvimento, havemos de concordar que nestes últimos 8 anos o estado do Pará, ganhou muito mais, em comparação ao seu desenvolvimento e crescimento econômico, que no final do século passado. E se hoje possuímos mais paraenses no controle e trabalhando nas grandes empresas deste estado, isso se dá pelo fato de sua maior qualidade profissional, que foi mais bem trabalhada na educação no período de virada de séculos. O acesso ao ensino de melhor qualidade (particular ou público), expandiu na sociedade paraense, a criação de novos postos de trabalhos na iniciativa privada que o governo da senhora Ana Júlia Carepa está criando é de fundamental relevância aos anseios desta sociedade. As obras viárias na capital (elevado Daniel Berg e da Av. Dalcídio Jurandir - como sugere a governadora), são extremamente importantes. Os aparatos de segurança que tenho encontrado na cidade são profundamente melhores do que encontrei em 2002 (ano que retornei), quando fui recepcionado com assalto por militares da ativa em Belém, fato que não ouvi mais ocorrerem com envolvimento de militares. Hoje me encontro morando em Tucuruí, estou trabalhando diretamente nas eclusas da hidrelétrica que será inaugurada, enfim! Que estamos em momento estratégico de mudanças profundas no estado isto está comprovado, se será através do governo da senhora Ana Júlia ou do senhor Simão Jatene, os eleitores responderão nas urnas. Mas o importante será manter esta lógica de crescimento do investimento no estado que alcance de fato toda sociedade paraense e que oportunize também outros cidadãos de bem do Brasil e do exterior. Excluindo apenas, os termos pejorativos de “bairrismos” ou “tapados”, da nossa linguagem e busquemos a paz com tolerância e a inteligência que a senhora blogueira afirma existir.
Até breve!
Miguel Arcanjo

Miguel disse...

Cara Ana Célia, não estou apresentando meu comentário, para depreciar e muito menos para apoiar Jatene ou Ana Júlia, mesmo porque não sou eleitor deste Estado. Apenas observando os fatos "in loco" e agora no youtube (barraco após debate da Record), pude melhor expor minha opinião ao ocorrido e para melhor apresentá-la
sugiro que publique este comentário, mesmo que não seja de seu interesse pois, espero que este espaço tenha sido criado para que possamos expressar nossas impressões, idéias, sugestões e principalmente opiniões.
Mas o que me tocou de maneira profunda e desconfortável, foi e será a expressão "bairrismo"(Diz-se de ou pessoa muito afeiçoada ao seu bairro ou à sua terra). Sou paraense(retornei este ano)e morava em Campinas-SP, fui como muitos buscar melhores ensinamentos e conhecimentos no exterior para aplicá-los no Brasil. Ser “bairrista” não quer dizer o mesmo que ser totalmente “tapado” (Que não tem abertura para o exterior), havemos de compreender as limitações de cada ser humano e suas tendências profissionais, o nosso Estado do Pará e seu povo sempre foram propensos a serem explorados, se formos observar a história até bem recente poderemos encontrar diversos fatos para compreender o que escrevo. Pois bem, obstante aos fatos que cada presidente republicano neste país contribuiu com seu desenvolvimento, havemos de concordar que nestes últimos 8 anos o estado do Pará, ganhou muito mais, em comparação ao seu desenvolvimento e crescimento econômico, que no final do século passado. E se hoje possuímos mais paraenses no controle e trabalhando nas grandes empresas deste estado, isso se dá pelo fato de sua maior qualidade profissional, que foi mais bem trabalhada na educação no período de virada de séculos. O acesso ao ensino de melhor qualidade (particular ou público), expandiu na sociedade paraense, a criação de novos postos de trabalhos na iniciativa privada que o governo da senhora Ana Júlia Carepa está criando é de fundamental relevância aos anseios desta sociedade. As obras viárias na capital (elevado Daniel Berg e da Av. Dalcídio Jurandir - como sugere a governadora), são extremamente importantes. Os aparatos de segurança que tenho encontrado na cidade são profundamente melhores do que encontrei em 2002 (ano que retornei), quando fui recepcionado com assalto por militares da ativa em Belém, fato que não ouvi mais ocorrerem com envolvimento de militares. Hoje me encontro morando em Tucuruí, estou trabalhando diretamente nas eclusas da hidrelétrica que será inaugurada, enfim! Que estamos em momento estratégico de mudanças profundas no estado isto está comprovado, se será através do governo da senhora Ana Júlia ou do senhor Simão Jatene, os eleitores responderão nas urnas. Mas o importante será manter esta lógica de crescimento do investimento no estado que alcance de fato toda sociedade paraense e que oportunize também outros cidadãos de bem do Brasil e do exterior. Excluindo apenas, os termos pejorativos de “bairrismos” ou “tapados”, da nossa linguagem e busquemos a paz com tolerância e a inteligência que a senhora blogueira afirma existir.
Até breve!
Miguel Arcanjo

Anônimo disse...

Hi, Mana, agora tu viajaste!!! Até que tu ia bem no artigo, porém deste uma vacilada.
Me pareceu um tanto quanto xenofóbica sua posição!!!
Viva os Bahianos, Viva os Paraenses, Viva os Brasileiros!!!!
E te esqueças que quando os belenenses vão para o interior do Estado, são bewm piores com seus "iguais". PERDESTE UMA CHANCE DE FICAR CALADA... FUI!!!!!

Anônimo disse...

Verdade!!! 100% verdade!... Concordo com cada vírgula, e mais – perdão pela intransigência – baianos, normalmente, me causam engulho.
Preconceito à parte; é preciso, no entanto, que não haja distração quanto ao fato de estarmos vivendo uma situação deplorável no âmbito da política.
Duas candidaturas que beiram a indecência, em um verdadeiro corolário do melhor (o pior...) que se possa pretender no quesito cara-de-pau. Demais pra qualquer um com um mínimo de atenção e consciência.
Deixar que esse episódio influencie uma tomada de decisão com relação ao voto, não dista em nada de se fazer uma escolha como base nos encantos de sereia que marketing costuma produzir, sempre sem qualquer escrúpulo ético. Quer dizer; é a escolha desatenta pelo afogamento.

Edson disse...

Olá, Ana Célia!
Antecipadamente agradeço a publicação do que se segue...
O que ainda não se entendeu é que chegou a hora do "tua culpa". "Ana Julia perdeu a campanha pq foi filmada por um cinegrafista do Jatene. Bem que se tentou evitar, mas... q se poderia fazer, não é? Esse povinho aqui do Pará não conhece as regras do jogo, não conhece o jogo ao ponto de importarem a gente - néh meu rei - p/ vir fazer o que eles não sabem".
Assim, Ana Célia, em verdade eu digo: "perdoa, eles já não sabem mais o que fazem"! ou ainda “A eles já não resta mais nada a que fazer”!
Aliás, não souberam como fazer durante os últimos 4 anos, daí...
Se Ana Julia perder a eleição, Ana Célia, na verdade a culpa é sua - que tentou mostrar aqui tudo o que cega de soberba ela não viu; é do povo ingrato do Pará - que não quis esperar mais 4 anos p/ ter certeza de que Ana & Cia que nada fizeram em 4, nada fariam em 8 anos.
Esse povo que veio de fora não pode ser culpado por isso, logo eles que, sentindo o cheiro das "raspas do tacho" se propuseram a vir até aqui imbuídos da maior das boa- vontades.

Edson Patoja

Anônimo disse...

Cara jornalista, acredito que você ainda não assistiu as imagens para chegar a essa conclusão !!!

Anônimo disse...

VOCÊ ESTÁ EQUIVOCADA !!! O CULPADO FOI O CINEGRAFISTA DO PSDB QUE INSISTIU EM FILMAR A CANDIDATA ADVERSÁRIA !!! DEVEMOS SER BAIRRISTA SIM, MAS NÃO HIPÓCRITAS !!!

Anônimo disse...

Tenho acompanhado seu blog há pelo menos um ano e observo que, apesar de sua copetência jornalística, existe um lado obscuro, oportunista e ardiloso. Infelismente pessoas como vc, que formam opiniao, ajudam a denegrir e afundar cada vez mais este estado num lodo moral.
PS. Sei que vc nao publicará este comentário e nem deve, serve apenas para vc refletir sobre a sua conduta nem um pouco ética.

Anônimo disse...

Reveja sua conduta profissional e ética, pois observo que não és imparcial

Alessandra Pamplona disse...

Totalmente equivocado esse post. Tomar partido em qualquer situacão é aceitável, apesar da utopia de que jornalista tem que ser imparcial, é sim aceitável. Afinal somos humanos e temos cá nossas paixões.
 Mas em nome dessa paixão vestir a camisa do preconceito, do ciuminho bobo que beira a infantilidade, do xenofobismo, ah isso já é demais.
Paraenses somos, MESMO, ótimos profissionais que, como você bem disse, "Temos agências de propaganda e marqueteiros premiados nacionalmente, sem falar nos grandes jornalistas paraenses que brilham em São Paulo, Brasília e até no exterior."
Imagina se nos tratassem por ai como estão tratando os baianos e demais brasileiros que aportaram por aqui...
Não haveriam agências, marketeiros ou jornalistas destacados nacionalmente.
Ou essa lógica só é válida quando não se trata dos nossos umbigos paraenses?
Alessandra Pamplona 

Anônimo disse...

Todos viram quem agiu com o destempero que é peculiar dos prepotentes, foi o marqueteito Orly. Essas coisas estão caracterizando cada vez mais os tucanos como farsantes. Vejam o caso da bolhinha de papel do Serra, e por aí vai. A "verdadeira verdade" precisa ser dita. è por essa e outras que necessitamos responsabilizar firmemente os que falseam a verdade.

Anônimo disse...

Ei Ana, em virtude desta tua convivência com o JATENE tu ficaste preguiçosa, não atualiza mais as postagens !!! rsrsrsrsr

Anônimo disse...

Todos nós "bairristas" conhecemos a figura desse "marketeiro" Orly Bezerra que sempre usou de sua falta de educação na defesa de seus interesses e de seus clientes. E preparem-se se o Jateve voltar, quem voltará?

Anônimo disse...

PETRALHAS FALANDO EM ÉTICA, ESSA È DEMAIS! SERÁ QUE ELES SABEM O SIGNIFICADO DESSA PALAVRA? OU ELES PENSAM QUE ÉTICA É UMA IGUARIA QUE COME COM FARINHA? KKKKKKKKKK!!!!

Anônimo disse...

Além de cascas-grossas, o PT ainda dá um patético exemplo de desprezo aos princípios democráticos através do decreto do "feriadão contra o voto cidadão" (a seguir):

Diário Oficial do Estado do Pará
No. 31.780, de 26/10/2010.

Decreto nº 2.579, de 25/10/2010:
Estabelece ponto facultativo nas repartições públicas integrantes da Administração Direta, Autárquica e Fundacional, e dá outras providências.

A GOVERNADORA DO ESTADO DO PARÁ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art.135, inciso V, da Constituição Estadual, e
Considerando o disposto no art. 238, da Lei Estadual nº5.810/1994, que consagra o dia 28 de outubro ao servidor público estadual;
Considerando a importância de homenagear os servidores que se dedicam em desempenhar suas funções em prol da melhoria dos serviços públicos prestados à comunidade;
Considerando ainda o interesse do serviço e o princípio constitucional da economicidade;
R E S O L V E:
Art. 1º Transferir para o dia 29 de outubro de 2010, as comemorações alusivas ao Dia do Servidor Público do Estado do Pará.
Art. 2º Fica facultado o expediente nos órgãos estaduais da administração direta e indireta no próximo dia 1º de novembro de 2010, efetuando a compensação uma hora por dia no dias 3, 4, 5, 8, 9 e 10 de novembro do mesmo ano.

Parágrafo único. Os órgãos estaduais das áreas de arrecadação, saúde pública e defesa social estabelecerão, nos dias 29 de outubro e 1º de novembro de 2010, escalas de serviços de servidores, a fim de que o atendimento à população não sofra solução de continuidade.
Art. 3º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Palácio do Governo, 25/10/2010.

ANA JÚLIA DE VASCONCELOS CAREPA
Governadora do Estado

Anônimo disse...

Sua bêbada contumaz. Vá na internet e veja direito as imagens!!! O cinegrafista do Jateve não teve nem um pouquinho de ética, já que como a senhora anda muito bêbada não percebe que o marqueteiro da Ana pede para ele para de filmar. Essa de bairrismo é de última. Pedeste uma boa chance de ficar calada e não cair mais em contradições, já que a senhora é perita nessa arte.
De um leitor que sempre vem aki para ler as tuas pérolas!!!!
Boa sorte aí no teu 45 e vê se para de beber tanto!!!