Ban

sábado, 4 de setembro de 2010

Vou votar em Jader Barbalho para senador



Depois de ler alguns comentários que recebi, especialmente os impublicáveis, pensei, pensei e decidi: vou votar em Jader Barbalho para senador.


O voto é meu, eu quero votar. Quem é que vai me impedir?


E olhem que faz exatamente 28 anos que não voto no Jader.


Votei em 1982, como todos os que lutavam pela redemocratização.


E de lá pra cá, nunca mais.


Mas hoje decidi: vou, sim, votar no Jader.


E vou fazê-lo pelo mesmo motivo de 1982: em defesa da Democracia.


Não aceito atentados contra o Estado de Direito, como é o caso dessa aplicação retroativa da Lei da Ficha Limpa.


Não me submeto ao autoritarismo de meia dúzia de “iluminados”, que imaginam poder “enquadrar” a população brasileira.


Se não estou enganada, o documento que resultou na Lei da Ficha Limpa foi assinado por 1,7 milhão de pessoas.


Isso é “clamor social”? 1,7 milhão? Mas de que país é que estamos a falar?


Ora, isso não representa nem 1% da nossa população, que é de 194 milhões.


E pelo andar da carruagem, só a votação do Jader deve quase empatar com esse 1,7 milhão de assinaturas.


Então, onde é que está o tal “clamor social”?


Na internet, à qual só tem acesso uma ínfima parcela da nossa população?


Na nossa imprensa, com o seu comportamento tão “ético” que até fabricou um presidente como o Collor de Mello?


Na verdade, a Lei da Ficha Limpa só passou porque ninguém se opôs.


E ninguém se opôs porque, no fundo, todos nós acreditamos que é preciso, sim, moralizar a política brasileira.


Ao contrário do que pensam algumas “ilhas de virtude e santidade”, não somos uma Nação de bandidos.


Mas por mais nobre que seja essa causa, não podemos simplesmente destruir os fundamentos do Estado de Direito.


Não podemos usar a Ficha Limpa para cassar os direitos de adversários políticos.


Não podemos negar o devido processo legal a quem quer que seja - sob pena de escancararmos as portas ao autoritarismo.


É por isso que vou votar em Jader. E não só vou votar em Jader: vou pedir votos pro Jader, na minha família, na minha rua.


Se der, até coloco no meu blog um banner dele.


E vou mandar e-mail aos ministros do Supremo, rogando que eles não permitam que a nossa Constituição seja pisoteada desse jeito.


Fiquei besta com a arrogância de um comentarista deste blog, que chegou a dizer: “e vai tratando logo de arranjar outro candidato, porque esse outro também vai ser impugnado”.


E eu fiquei a pensar: mas esse sujeito bilé, mal resolvido, deve imaginar que é mais cidadão do que eu. Deve pensar que é algum “deus”, pra determinar em quem eu posso ou não votar – e como eu, milhões de paraenses.


O voto é meu. O voto é da dona Maria. O voto é do seu José.


E se queremos votar em Jader, quem é que nos impedirá?


FUUUUUIIIIIIII!!!!!!

39 comentários:

Blog do Jeco disse...

Não creio que tenho algum poder de influenciar uma mulher como você, mas as maracutaias do Jader não te dizem nada?

Zeca disse...

Claro que não Jeco, não vê que o Blog Perereca da Vizinha hoje é um comitê eleitoral do Jatene?

Se for do interesse da campanha do Jatene ela apóia quem ele mandar.

A paixão cega deve terminar depois das eleições e este Blog deve voltar a ser mais imparcial e um dos mais importantes do Pará.

Até lá vamos respeitar este momento da Perereca em nome da enorme contribuição que ela deu à informação política neste Estado.

Deixa-a votar no Jader em paz, todos os três candidatos mais cotados são fichas sujas mesmo, que opção nos temos?

Anônimo disse...

Ana Célia: na postagem anterior falaste que ias votar no Flexa e no Paulo Rocha. Quem eliminaste?

Anônimo disse...

Realmente é uma tristeza um blog incetivando a população paraense a votar no jader Babalho, você poderia manter seu voto no anônimato, revelando você está mostrando todo seu despreparo e interesses pessoais, Jarder, Paulo Rocha e Flexa ribeiro todos são farinha do mesmo saco e a Lei tem que valer sim e somente 1.700.000 assinaram o abaixo assinado, porque a maioria da população brasileira não tinha acesso para assinar, caso ao contrario tenho certeza que 95% da população assinava, restando somente uma percentual de corruptos e interesseiros e ladrões que não assinaria e acho que você se enquadrava nesse meio

MARCIO VASCONCELOS disse...

JADER, atravessa 2 gerações, e sempre foi o maior líder político do PARÁ, e já se aproxima da terceira geração.
Se ele está envolvido em maracutaias, como disse um educado leitor deste blog, cabe o Ministério Público e a Justiça tomar as providências.
O que não pode ser desconsiderado, é o fato de um Poder Judiciário, que deveria ser o guardião da CONSTITUIÇÃO, perseguir o JADER, para tirá-lo da vida pública na marra.
O STF tem Ministros que não vão querer entrar para a história, em aplicar uma lei inconstitucional.
E se por um absurdo isso acontecer, não sei o que será da população brasileira, pois, o Judiciário ainda é uma instituição que o povo ainda acredita

Anônimo disse...

Cara Ana Célia, tenho acompanhado suas duas últimas publicações envolvendo a cassação do registro de Jader no TSE.
A despeito dos comentários postados, que entendo ser fruto da paixão que urge nos períodos eleitorais e da defesa que cada um tende a fazer de suas preferências plolíticas, considero seus comentário, dos mais isentos.
Não adentro no mérito dos atos praticados por Jader, se o mesmo é corrupto ou praticou crime em sua trajetória política, cabe ao Judiciário, que já teve tempo de sobra para apura tais acusações.
A questão é técnica e assim tem que ser tratada. A Constituição Brasileira foi ofendida em vários de seus princípios, senão vejamos:
Os que defendem que a irretroatividade só se aplica à lei penal, se equivocam em sua interpretação. Este princípio quer dizer que nenhuma lei que acarrete punição ou sansão a alguém que praticou algo que à época era considerado lícito, poderá ser agora penalizado por ser no momento ilícito. A cassação de registro nada mais é do que punição, que é a consequência penal dos atos ilícitos cometidos. E isso vale não só para o Código Penal, mas também nas legislações cíveis, administrativas, eleitorais, previdenciárias, etc.
O que o TSE fez foi punir Jader, cassar-lhe um registro por um ato (renúncia) que à época era perfeitamente admissível em qualquer tribunal deste país. Dizer que isso não tem caráter penal, é defender o indefensável.
Foi ofendido também o princípio da presunção de inocência, da segurança jurídica e, mais grave ainda, foi ofendido o Estado Democrático de Direito.
Partilham deste pensamento, a doutrina jurídica dominante e inúmeros julgados. Sobre a questão é interessante que se leia uma brilhate entrevista do ex Ministro do STF Eros Graus que, com autoridade jurídica e moral que possui, tão bem explana sobre a matéria.
O resto é fruto das paixões políticas, que como qualquer paixão, cega tanto quanto o ressentimento e o ódio.
Fernando.

juca disse...

Eu nunca votei em Jader,pois na época que ele foi governador pela ultima vez eu era menor e tinha uns 17 anos,comecei a votar em 1996,já na era Almir,más eu tenho vontade de votar em jader,e gostaria mais ainda de ve-lo como governador,por tudo que falam dele quando governou este estado.
Podem se roer,mais queiram ou não,ele é o nome de maior influencia e de maior expressão neste estado do Pará,por isso Ana,eu faço igual a vc,meu voto é de Jader Barbalho,e ninguém vai me impedir.JADER já para senador.

Ana Célia Pinheiro disse...

Ao anônimo das 13:51: Não vou publicar o teu comentário, seu covarde, golpista de merda. Eu voto em quem eu quiser: não sou cidadã de segunda categoria, nem tu és de primeira, até porque não existe isso. Voto em quem eu quiser e não vai ser um vagabundo sectário da tua marca que vai me impedir. E se mais gente da tua laia me encher o saco, entro com uma ação de inconstitucionalidade no Supremo. E se tu não gostares do que pensa a maioria, maninho, a porta da rua é serventia da casa. Vai pra Cuba, mano. Aí tu vais poder submeter as pessoas ao teu autoritarismo.


Vou sair. À noite respondo os comentários. FUUUUIIIIII!!!!!

Zeca disse...

Ao anônimo das 11:04 AM, qual q diferênça entre Jader, Paulo Rocha e Flexa??? Todos são fichas sujas e repondem aprocessos por corrupção e lavagem de dinheiro. Os outros ninguém sabe quem são.

Tanto faz em quem se vote para o senado no Pará, vai ser voto perdido.

Por falar nisso ensopei duas toalhas de banho com minhas lágrimas com pena do Jader reclamando no horário eleitoral das perseguições que os homens maus do TSE estão fazendo a ele. Logo ele um poço de virtudes?

Coitadinho, só por que ele gosta de pererecas e por que as pererecas gostam dele?

É pura inveja e ciume... Maldadeeeeeeee!!!

Anônimo disse...

Não sei o que o anônimo das 13:51 falou, mas deve ter sido alguma coisa certa.

Anônimo disse...

Deves providenciar urgentemente a tua ADIN, pois a CNBB e outros, já tem um esboço do movimento pró ficha limpa caso o STF esboce movimento contrário ao que a maioria do povo brasileiro quer. e ai sim,não tem quem irá contra a vontade da maioria. e irei fazer parte da maioria da população que quer ver estes bandidos presos,pois ao fim da imunidade eles vão se enrolar todo.

Anônimo disse...

Texto retirado do Blog da Fransinete Florenzano

Fabio disse...
Pois é,e a governadora ainda canta aos 04 ventos que fez melhorias na segurança pública.
Saiba, senhora governadora, que fazer concurso para a PM não lhe respalda PARA FALAR em melhoria. Se alguém quer melhorar a Segurança pública tem que investir também no HOMEM/MULHER que veste a farda. Tem que saber que aquela pessoa, por trás do uniforme, também padece de todos os problemas que assolam a sociedade, além daqueles que são inerentes à profissão. O "ser humano PM" está doente! E ninguém parece perceber. Nós sofremos calados porque o regulamento nos ameaça silenciosamente, sem que a sociedade perceba. Por enquanto, o PM apenas finge que trabalha, todavia, chegará o dia em que eles irão "surtar" e quem vai sofrer é a sociedade e ela nos culpará por isso, eu sei. Mas os verdadeiros culpado são voçês! Aministradores ´da coisa pública que nos armam sem o devido preparo, que nos colocam nas ruas sem perquerir se estamos emocionalmente preparados; sem averiguar se o nosso psicológico está pronto para um dia extenuante no qual, a qualquer momento, eu tenha que decidir se eu tiro uma vida ou não, sob pena de morrer ou de responder judicialmente, resaltando que não possuo dinheiro para advogados, por isso, prefiro não responder em juízo.
Governadora, ou senhora está muito mal assessorada, ou age de má fé quando fala aos Policiais militares. Não convém falar em aumento salarial da polícia Civil para uma audiência exclusiva de Policiais militares, que têm os seus salários arrochados a quase 16 anos. Quanto ao CIOP, caros blogueiros, está sucateado, não oferece as mínimas condições para satisfazer as necessidades da população e nem daqueles que lá trabalham. Os profisionais, que ali estão, trablham frustrados e nunca desempenharão as suas funções com zelo. De dia os atendentes são voluntários civis( sem nenhum preparo policial) e de noite são policiais que estão insatifeitos com o seu mister, tais quais grande parecela da nossa tropa. A insatisfação se dá principalmente pela desilusão. A senhora, governadora, mentiu para nós, nos iludiu com falácias que nunca pretendeu cumprir. Saiba que a senhora representou uma luz de esperança contra a política neoliberal que arrochava o servidor militar. Contudo, a dor da desilusão foi pior do que o desprezo que o Almir sentia pela PM, sabe por que? Porque nós estávamos preparados para o Almir, mas não sabíamos que seríamos traídos pelo PT, partido de base humanista que, em tese, se preocupa com as pessoas. Para a PM, o seu governo será lembrado como mais um lamento, mais uma desesperaça porque nos sentimos órfãos. Espero que os leitores deste blog pratiquem a alteridade e se coloquem no lugar do Policial, porquanto não é fácil ser PM e nós viemos daí, da mesma sociedade que tanto nos condena. Eu sou tanto filho, quanto pai, irmão, primo, neto ou amigo de alguém, talvez, eu seja alguém bem próximo de voce que está nos lendo...nunca se sabe.

Anônimo disse...

Esta tua sede de votar no Jader deve tá subindo na cabeça.

Tu não tens legitimidade para propor ADI, leia o art. 103 de nossa Carta Maior.

Que pena que tu que trabalhas tanto e já sofrestes várias dificuldades tenhas a desdita de defender um ladrão chamado Jader. Nada justifica isso, nem todos os argumentos do mundo.

Anônimo disse...

Olha, Perereca, não te consome com a turma leiga. Leiga da Lei, é claro. Fica fria.
Há pelo menos, veja bem, pelo menos, duas correntes pra tratar do caso das impugnações com base no Ficha Limpa.
Ambas, caminhos legais.
Um está na lei posta, no prinípio da segurança jurídica.
A cassação de Jáder e Cia afronta esse princípio. Eles pagaram com a renúncia à época dos seus julgamentos. Ou seja, foram sim penalizados.
Mas tb não se condene o Ficha Limpa. Se temos "poucas" assinaturas no projeto de lei é porque temos muito pouca cultura de cobrar probidade, lisura e empenho dos nossos representantes.
O Ficha Limpa é sim um basta ao mau político. Nesse sentido, sua importância é enorme e sua legitimidade considero presumida.
É assim que nós, seres humanos, avançamos.
A gente vive dizendo que a lei e a justiça não conseguem dar conta do movimento da sociedade. Andam sempre atrasadas.
Então, quando temos um avanço, vamos dar força e não condená-lo.
Se ele vale pra tras ou somente pra frente, vamos debater mais, acompanhar a votação no Supremo e formar nossa opinião.
Acho, sinceramentem que ainda é cedo pra batermos o pé numa ou noutra interpretação.
Hoje, nossos candidatos podem ser votados, e assim o serão.
Somos livres pra votar neles, porque não há lei que impeça isso.
Eu, por exemplo, não voto em Jáder nem em Paulo Rocha. Voto no Flexa.
Mas aguardo com ansiedade um debate mais amplo, de onde espero sair com uma posição mais formada.

Beijos, queridíssima amiga guerreira, inteligente e de competência ímpar.
Quem dera fosse vc a candidata pra gente votar!

GUILHERME disse...

aDOREI SUA POSTAGEM jader fontenele barbalho a historia viva do nosso PARÁ.

Anônimo disse...

Que vergonha, Perereca. O que não se faz pelo salário, né?

Anônimo disse...

Não voto no Jader. Menos por conta do Ficha Limpa - que para mim deve sim ser aplicada este ano e faz parte de um esforço de se moralizar a política neste país, não através de sanções, mas de condições de elegibilidade - mas, principalmente porque para mim o Jader representa um retrocesso, o retorno a tudo aquilo que sempre combatemos, inclusive, quando se sustentava as bandeiras da democracia.
Um sujeito que controla o partido como se estivesse controlando a sua casa, manipulando as pessoas e fazendo fortuna passando por cima de tudo aquilo que a ética e lei pregam, para mim não é um exemplo de democracia, e sim dos tempos áureos do coronelismo.
Passar por cima das falcatruas, esquecer o rombo do banpará, sudam, da mesma forma que ele tirou no fotoshop parte daquelas sombrancelhas maquiavélicas, não o faz um representante digno.
Prezas tanto pelo respeito às leis, mas lembremos há quanto tempo que os processos contra ele estão parados na Justiça sem que seja dada sequer uma decisão colegiada sobre os processo. cade o NOSSO direito de ampla defesa? de assegurar pelo menos que a verdade dos fatos seja tirada à prova?
Talvez por tudo isso, e menos pelo 'clamor popular' a que te referes, SIM quero que o Jader seja impugnado. E com um agravante que se o Supremo decidir pela liberação dele, do Roriz e afins é melhor fechar as luzes do TSe porque com certeza é uma Casa sem voz. E olhe que esta deveria ser a principal instancia eleitoral do país.

Ana Célia Pinheiro disse...

Ao anônimo das 6:05: mano, fica frio, porque só se eu fosse doida pra sair da minha casa pra ir propor alguma ação contra uma Lei como a Ficha Limpa - com a qual eu concordo, aliás.
Só disse isso porque estava tiririca com um retardado, que, ainda por cima no anonimato, veio querer me chamar de tudo e mais alguma coisa, simplesmente por expressar uma opinião, por exercer um direito meu.
Creio que todo mundo aqui é testemunha da minha tolerância: já publiquei xingamentos a mim, que qualquer outro blogueiro simplesmente mandava o sujeito ir se catar. Mas até a tolerância democrática, por maior que seja, tem limite, caramba!
As pessoas têm de acabar com essa coisa nociva de odiarem e ficarem ofendendo os outros de tudo que é jeito só por causa de política. Se eu tenho o direito de expressar uma opinião, o outro também tem. Aliás, eu acho até que as pessoas que participam dos debates da blogosfera deveriam era ter vergonha desse tipo de comportamento, porque isso é coisa de turba - e não de formador de opinião.
Também penso que há muita boa gente que tem de parar com essa mania de achar que é a única pessoa que quer melhorar o Brasil. Há muito mais gente, maninhos. Bem vistas as coisas, quase todos os 194 milhões de cidadãos que dão o sangue por este País. O problema é como fazer isso, sem cair na tentação de destruir as próprias bases da Democracia. Pra não fazer que nem o sujeito meio bilé, que, ao identificar um capim no meio da plantação, resolve jogar agente laranja pra acabar com tudo. Na postagem anterior eu disse que, na minha avaliação, o Jader não se enquadra nos novos imperativos da sociedade brasileira. Mas daí a usar a Lei de forma reatroativa para cassá-lo, vai uma distância muito grande. Será que o Jader - ou qualquer outro cidadão - vale esse rombo gigantesco no Estado de Direito? É uma situação Kafkiana: o sujeito é hoje condenado por um crime que teria cometido há 10 anos, quando não era crime o que ele fez. Mas será que as pessoas não percebem o perigo de uma coisa assim? Hoje é o Jader, amanhã sou eu, depois de amanhã é você. Ninguém mais estará seguro, se permirtirmos uma coisa dessas.
Isso não é coisa de Democracia: é coisa de Tribunal do Santo Ofício, que mandava até desenterrar o sujeito que tinha morrido há não sei quantos anos, mas que, naquele momento, era considerado excomungado.
Sou a favor da Ficha Limpa. E como eu, milhões de brasileiros, a maioria esmagadora, sim, dos cidadãos - e não apenas meia dúzia de "iluminados".
Mas não dá pra destruir, por causa de um ou dois cidadãos, as conquistas que a gente suou, durante séculos, pra obter.
Pensem, caramba!
Há 50 anos, uma cidadã negra seria enxotada de um elevador social. Hoje, o sujeito que tentar fazer a mesma coisa é preso por racismo.
Não precisamos pisotear a Lei pra conseguir isso; não precisamos mandar pro paredão os racistas.
Avançamos de forma pedagógica e dentro da legalidade.
E hoje vamos conseguindo arrancar da escravidão esses milhões de cidadãos negros que permaneceram condenados à escravidão, mesmo depois da abolição da escravatura.
Não dá para aloprar. Sob pena de acabarmos é regredindo, em vez de avançar.
FUUUUUIIIIIII!!!!!!

Ana Célia Pinheiro disse...

Ao Jeco e ao Zeca:

Olhem, do fundo do coração: não estou vindo a este blog, neste momento, por compromissos de campanha - aliás, por compromissos de campanha eu nem deveria estar aqui, a dar piteco num monte de coisas e até a defender, como já fiz, há uma ou duas semanas, a minha xará, a quem os tucanos estamos a estapear.
Tenho tentado me manter afastada deste blog, mas o problema é que estão surgindo, neste processo eleitoral, questões fundamentais para a Democracia, que a gente não pode simplesmente deixar passar.
É o caso daquele fechamento lamentável da Rádio Tabajara e dessa aplicação retroativa da Lei da Ficha Limpa.
Já disse aqui várias vezes: não tenho um pedaço de terra no cemitério. A minha herança pra minha filha e pros meus netos será este País; o Brasil que eu ajudar a construir.
Por isso, cada vez que acontecer alguma coisa que me pareça atentatória à Democracia, vou vir aqui, sim, com a única arma que possuo: a escrita.
E se isso vai me custar tempo, dinheiro ou até o emprego é absolutamente irrelevante.
Já estou com quase 50 anos, os cabelos branqueando (e tudo caindo...).
E se quando era jovem não conseguia pensar simplesmente em mim, muito menos agora vou conseguir aprender isso.
Penso que ajudar a construir o futuro, um Brasil mais justo, democrático e decente é o que realmente importa.
Até porque eu quero que quando os meus netos olhem pra trás eles possam dizer: égua, que essa nossa avó realmente lutou pra deixar pra gente um País muito melhor do que aquele que ela encontrou.
E eu creio, do fundo do coração, que é isso que todos nós queremos, não é?
Um abração pra vocês e muito obrigada pela paciência de me escutar.
FUUUUIIIIII!!!!!!

Ana Célia Pinheiro disse...

Concordo com você, anônimo das 5:53: as poucas assinaturas obtidas no abaixo assinado da Lei da Ficha Limpa refletem, na verdade, essa parca consciência da sociedade brasileira acerca da importância de exigirmos decência, probidade de todos os agentes públicos.

Função pública não é uma coisa qualquer: é uma honra, a honra de servir à sociedade - e de forma remunerada, vejam só. Então, tem de olhar, sim, a vida pregressa.

Também acho que a Lei da Ficha Limpa tem muitos furos do ponto de vista da legalidade - o que não é, absolutamente, uma coisa menor - que poderiam ter sido evitados se não houvesse tanta "paixão" envolvida nisso.

E penso, ainda, que há coisas tão ou mais importantes que a Ficha Limpa, que teremos de lutar - e muito - para aprovar, como é o caso do financiamento público de campanha e da obrigatoriedade de portais de transparência realmente transparentes, em todos os níveis da administração pública.

São avanços que podem não decorrer de nenhum "clamor social" e que podem até estar à frente da consciência coletiva, mas que certamente também nos ajudarão no aperfeiçoamento democrático.

Mas a minha maior preocupação é mesmo quanto ao uso retroativo que se tenta fazer da Ficha Limpa, pelo precedente que isso representa.

E nesse ponto já formei a minha opinião: penso que é, sim, um atentado ao Estado de Direito.

Aliás, fiquei em choque, perplexa durante o julgamento do TSE, porque quando a Justiça se curva a essa coisa de "clamor popular", aí, sim, o bicho pega. Especialmente quando se tem uma população altamente despolitizada e, por isso mesmo, facilmente manipulável.

Vimos até onde essa manipulação pode levar não apenas com o golpe militar e aquela história de comunista comer criancinha. Mas, também, com o fenômeno Collor, por exemplo.

Espero que o STF reverta, corajosamente, essa decisão.

Mas enquanto isso não acontecer, anônimo, confesso que sinto um medo danado de onde poderemos chegar.

O autoritarismo não é uma raridade, um episódio, nem na história do Brasil, nem da América Latina: é um monstro que sempre esteve a nos espreitar, mesmo nos raros períodos democráticos conseguimos conquistar.

E vou esperar pela decisão do STF rezando - rezando- para que não estejamos, afinal, a assistir ao começo de mais uma página tenebrosa da nossa história.

Muito obrigada pela participação, anônimo. Um grande abraço.

Anônimo disse...

Eu tambem vou voltar no Jader

Luis Miranda disse...

perereca - um erro não justifica outro, apesar de achar que a justiça está certa em impedir jader de concorrer as eleições.
Votar em jader é manter o estado na contra mão do pais.
depois dessa perereca, não tenho mais condições de acessar teu blog,
o nível está muito baixo.
Fazer apologia ao jader é trazer
de volta o maluf, pita, garotinho, papudinho, barata, Dão João, nero, etc..
eu fui e não volto.

Anônimo disse...

ANA, O QUE OS CHAVISTAS DO PT PARAENSE QUEREM É ISSO MESMO: SOMENTE IMPOR SEUS INTERESSES...COMO PODE UMA MINORIA CONDENAR ALGUEM QUE JÁ FOI ABSOLVIDO PELO POVO?!O PRINCÍPIO BÁSICO DA DEMOCRACIA É ISSO:A VONTADE DA MAIORIA PREVALECE, É A VONTADE ESPONTANEA DO POVO.ESTOU TEMEROSO...TUDO ISSO É SINAL CLARO DE UMA DITADURA BRANCA Q LOGO PODERÁ TER OUTRA COR...DEMOCRACIA É MAIORIA...SE ISSO MUDAR NO BRASIL,É ASSASSINATO À CONSTITUIÇÃO , JADER ESTÁ CERTO,AS DUAS ELEIÇÕES EM Q ELE FOI OMAIS VOTADO MOSTRA CLARAMENTE Q O POVO O ABSOLVEU, E ESTA AGORA Q ELE LIDERA NAS INTENÇÕES DE VOTO CONSOLIDA A DEMOCRACIA : "PELO POVO PARA O POVO ..." SE O POVO QUER , UM OU DOIS OU MAIS ALGUM NÃO PODE NEGAR...VIVA A DEMOCRACIA !

carlos do pt da moca disse...

safada e oportunista , essa é tua historia PERERECA !PENSA QUE TODO MUNDO É BESTA ? VENS COM UMA POSTAGEM EXTREMAMENTE TENDENCIOSA E DEPOIS FICA COM RAIVA DOS COMENTARIOS SE FAZENDO DE VITIMA ! NÃO PASSAS DE UMA BANDIDA E VENDIDA ! JATENE VAI OA FIM JUNTO COM PSDB E JORNALISTAS COMO VOCÊ VÃO PARA ONDE? QUERES UMA VAGA NO DIARIO DO PARÁ ?É ISSO QUE PARECE COM ESSA TUA POSTAGEM.

Anônimo disse...

O que esperar de uma mulher que um dia fala mal do Vic noutro elogia e depois fala mal de novo.

Anônimo disse...

Ana , tudo bem....vote em quem vc. quiser e um direito de todo cidadao... Agora so te peco uma coisa : Da um voto tambem para o Flexa, ta ?

Anônimo disse...

Ana, não dá mais para acreditar em você. Num dia diz que vai se desincompatibiliz do Blog. E não cumpre a palavra. Para tudo tem uma justificativa. No outro dia diz que vai votar no Flexa e Paulo Rocha. Depois recua e anuncia voto no Jader, fazendo uma analogia com 1982. Não tem nem como comprar duas conjunturas diferenres. Absolutamente diferentes. Naquela época vivíamos uma ditadura e não se conhecia vida do Jader como gestor. Três meses depois, quando o bispo do Xingu, Dom Erwin Krautler foi espancado, na ponte do Pacal, pelas forças da PM, comandadas por Jader, foi o suficiente para o setor de esqueda que o apoiou, passar a gritar nas ruas: "o povo elegeu e já se arrependeu". Não vou enumerar os escândalos que envolveram o nome do Jader nos dois períodos que ele governou o Pará e na condição de ministro da Reforma Agrária. Sinceramente, concordo com você em relação ao caráter casuístico da lei da ficha limpa, retroagindo para atingir adversários dos demotucanos. Mas fazer apologia de Jader Barbalho, soa como alguém que foi bombardeado dentro do comitê tucano.E resolveu mudar o segundo voto sem nenhuma justificativa plausível, já que Paulo Rocha também se encontra sob a espada da referida lei, sem nunca sequer ter sido julgado por um tribunal.

Anônimo disse...

Pouco entro em blogs, especialmente no de Ana Célia. Quando entro, eis que encontro uma declaração tão enfática a pregar o voto em Jader Barbalho. FUUUUUUUI!!!

Anônimo disse...

O que, evidentemente, podemos concluir com essas atitudes, como a sua, é que seus princípios morais são igualmente volúveis como as suas opiniões e o seu voto.
Primeiro, em respeito aos leitores, você decidiu se descompatibilizar do seu Blog. De repente voltou atrás.
Segundo, declarou que não vota em Jáder. Da mesma forma, voltou atrás.
Não é difícil somar dois mais dois. Por isso concluo que essas suas atitudes foram claramente premeditadas, como tudo na sua vida é! Infelizmente, você é uma pessoa manipuladora, que usa do seu "bom papo" e "bom português" para conseguir seus objetivos com métodos "escusos".
Pense que existe um Deus que conhece o interior de cada um de nós. Deste você e suas artimanhas não escapam.
Se o que estou dizendo é verdade, então, simplesmente, apague meu comentário.

Que Deus te abençoe.

www.ribamarribeirojunior.blogspot.com disse...

Eu voto na Marinor!

Anônimo disse...

Ayres Britto rejeita candidatura de Roriz e complica Jader e Paulo Rocha

O ministro Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou no início da madrugada de hoje (9) reclamação (recurso) encaminhada por Joaquim Roriz (PSC), candidato ao governo do Distrito Federal. Roriz pode recorrer da decisão. Isso ocorrendo, o caso será julgado pelo plenário do Supremo, integrado atualmente por 10 ministros já que o presidente Lula ainda não nomeou o substituto do ministro Eros Grau, que se aposentou.

A decisão de Ayres Brito complica a situação das candidaturas dos deputados federais Jader Barbalho (PMDB) e Paulo Rocha (PT). Os dois são candidatos ao Senado pelo Pará e foram denunciados pelo Ministério Público Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa.

Jader Barbalho teve seu registro cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral por cinco votos a dois. O caso de Paulo Rocha, que renunciou ao mandato na Câmara em 2005 para não ser cassado por seu envolvimento no Escândalo do mensalão, ainda vai ser julgado pelo TSE.

No TSE, dois ministros que também integram o Supremo Tribunal Federal - Ricardo Levandoviski e Carmen Lúcia -, votaram contra Joaquim Roriz e Jader Barbalho.

A “reclamação” apresentada ao STF fez parte da estratégia de Joaquim Roriz para tentar reverter a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que o enquadrou na Lei da Ficha Limpa em julgamento realizado no último dia 31 de agosto.

Além da reclamação, os advogados de Roriz também apresentaram na última sexta-feira (3) recurso extraordinário contra a mesma decisão do TSE.

Esse recurso deve ser encaminhado para apreciação do STF ao longo do dia de hoje, após decisão do presidente do TSE, Ricardo Lewandowski.

Nos dois casos, os advogados alegam, entre outros pontos, que a decisão do TSE atropela o princípio da anualidade.

De acordo com esse princípio, uma Lei Eleitoral só tem efeito após um ano da sua criação.

No caso da Lei da Ficha Limpa, ela, no entender dos advogados de Roriz, só pode valer a partir de 2011, uma vez que as novas regras de inelegibilidade foram sancionadas no último dia 4 de junho.

No julgamento realizado pelo TSE prevaleceu, no entanto, o entendimento de que as novas regras de inelegibilidades têm efeito imediato e que não se trata de pena, mas de um pré-requisito para se disputar uma eleição.

Roriz foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa por ter renunciado ao cargo de Senador, em 2007, para escapar de processo no Conselho de Ética.

Na ocasião, a Operação Aquarela da Polícia Civil flagrou Roriz, por meio de escutas telefônicas legais, discutindo com o ex-presidente do Banco Regional de Brasília, Tarcísio Franklin, a partilha de R$ 2,2 milhões.

Fonte: Blog do Noblat
Última atualização em Qui, 09 de Setembro de 2010 01:01

Anônimo disse...

Amiga Perereca,
tenho o maior apreço por ti e respeito tuas escolhas, mesmo discordando da maioria delas. No entanto, venho acompanhando teu blog a quase dois anos e ao analisar teus posts percebo um "quê" de diversas contradições.
Acho que vc é movida pela paixão que na maioria das vezes te cega e enfurece, a exemplo das investigações do hangar e na sua "relação" com o dep. Vic e até quando te referes a tua homônima.
Depois que a poeira senta vc relaxa e até larga de mão as diversas ameaças que fazes em teus escritos.
Amiga, pela leitura do teu blog posso afirmar que se ainda não tens Transtorno Bipolar do Humor podes estar a caminho...
Independente de tua condição,me divirto com as tuas postagens e com as diversas contradições e mudanças súbitas de humor que encontro em tuas palavras.

Carmen Américo disse...

Prezada,

Gostaria de contar com sua colaboração da divulgação da greve dos professores da rede municipal de Mocajuba.

http://amazonidas.blogspot.com/2010/09/mocajuba-greve-dos-professores-da-rede.html

att

Carmen

Anônimo disse...

Votei em Jader em 1982, não havia como ser diferente. A conjuntura era outra. Naquele momento o importante era derrotar a ditadura. Em 2010 não dá mais pra votar nele, ele mudou... pra pior, afastando-se dos ideais daquela época.

Quanto a Lei da Ficha Limpa, ela não foi feita pro Jader. Vale também pro Paulo Rocha e muitos outros.

Agora, dizer que o Jader poderia ser o nosso Lula... puta que pariu!

Estás ficando doida, menina. Me explica uma coisa: quem paga o teu salário?

Perereco

Gregorio de Matos disse...

Vou pedir ao STF para ipugnar a orgasmo que papai deu em mamãe no momento em que fui gerado é que até hoje papai não paga mesada... kkkkk O Pará é ruim com JADER e Pior sem ele, da-lhe 151...

Anônimo disse...

UM CRIME ELEITORAL NA CAMPANHA DE ANA JULIA
O FATO: Á Sede do PT de Parauapebas (Diretório Municipal) funciona em um local um tanto suspeito, o PT local tem sua sede, na Avenida Tancredo Neves numero 31, bairro Rio Verde, Parauapebas – PA, até ai tudo bem se este endereço não fosse a sede de uma ONG, ao longo dos anos recebe incentivos financeiros internacionais, assim essa mesma ong que se construiu com contribuições internacionais de varias ONG da Europa ligada a Igreja Católica, e, agora o PT local recebeu esse mesmo local para funciona sua sede, sem contrato de aluguem ou doação, como nossa lei eleitoral (código eleitoral) não permite doações de entidade ou governo estrangeiros, entidade de classe ou sindical ou até mesmo de autarquias, empresas públicas ou concessionárias de serviços públicos, sociedades de economia mista e fundações instituídas em virtude de lei e para cujos recursos concorram órgãos ou entidades governamentais, é o PT ta mesmo cometendo um crime eleitoral grave passivo até de cassação de registro de candidatura.
ONG é uma chamada de Equipe de Educação Popular de Parauapebas - EEPP, ligada ao atual Prefeito que é do PT, eles morei de medo disso vazar já até tentaram muda de endereço, se isso ajuda de alguma forma posso providencia o CNPJ da mesma para ajuizamos a denúncia crime contra o PT acelerado.
Observação: não existe contrato de aluguem e de doação, entre a ONG e o PT, é meio na tora a coisa, é so checa as ultimas prestações de conta do Diretório Municipal.
Agradeço sua atenção
Damilson
Trecho da Lei eleitoral
TÍTULO III
Das Finanças e Contabilidade dos Partidos
CAPÍTULO I
Da Prestação de Contas
Art. 30. O partido político, através de seus órgãos nacionais, regionais e municipais, deve manter escrituração contábil, de forma a permitir o conhecimento da origem de suas receitas e a destinação de suas despesas.
Art. 31. É vedado ao partido receber, direta ou indiretamente, sob qualquer forma ou pretexto, contribuição ou auxílio pecuniário ou estimável em dinheiro, inclusive através de publicidade de qualquer espécie, procedente de:
I - entidade ou governo estrangeiros;
II - autoridade ou órgãos públicos, ressalvadas as dotações referidas no art. 38;
III - autarquias, empresas públicas ou concessionárias de serviços públicos, sociedades de economia mista e fundações instituídas em virtude de lei e para cujos recursos concorram órgãos ou entidades governamentais;
IV - entidade de classe ou sindical.

Cláudio Monteiro Sá - professor disse...

Depois dessa Ana Célia você perdeu totalmente a consciência e a credibilidade. Pra mim foi o golpe de misericórdia. Não lerei mais uma linha sequer desse seu blog. Ainda mais depois que descobri que você também trabalha na equipe do Jatene. VENDIDA!

Ana Célia Pinheiro disse...

Olha, Cláudio:

Só agora estou conseguindo dar uma paradinha aqui, para responder alguns comentários.

Lamento se você discorda de mim, mas sei que esse é um direito seu.

Assim como é um direito meu - um sagrado direito meu - expressar minhas opiniões.

Sabe qual é o problema, Cláudio?

É que a Democracia é uma conquista tão recente, que os brasileiros - especialmente os envolvidos em política-partidária - costumam imaginar que ela é uma via de mão única.

Ou seja: é o meu pensar e o meu direito de exprimir esse pensar.

No entanto, a Democracia, por incrível que pareça, é uma via de mão dupla.

De sorte que o meu direito e o seu direito estão profundamente imbricados: um não existe sem o outro, em termos democráticos.

Simplesmente porque manifestei uma opinião, você resolveu me xingar de "vendida" e voltar-me as costas.

É um direito seu, embora não seja nem mesmo educado.

Mas permita que eu, democraticamente, me recuse a agir igual a você.

Abs,

Ana Célia

Anônimo disse...

Apbelem

Independente de quem seja a "bola da vez", na minha opinião essa lei é insconstitucional. Onde já se viu, uma lei condenar um cidadão por um ato que ele praticou, que na ocasião isso lhe era permitido e, só porque agora não pode mais, ela lhe condena de forma retroativa. Isso é um absurdo. Não sou a favor de nenhum candidato que pratica falcatruas e muito menos a favor de leis com esse tipo de entendimento.