Ban

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Jader resgata história política



Quero agradecer de público ao deputado federal Jader Barbalho, futuro senador do Pará, pela gentileza do presente que me ofertou: um exemplar do livro “Tempo do Trabalho”, que resgata boa parte de sua brilhante trajetória política.


O livro é uma preciosidade, que é preciso ler com vagar e guardar com todo o carinho do mundo.


A bela edição tem a assinatura de Conceição Elarrat, uma excelente jornalista, com larga experiência em Assessoria de Comunicação. O projeto gráfico é de Paulo Afonso Campos de Melo


São quase duzentas páginas e uma tiragem de apenas 15 mil exemplares, recém saída do forno (julho deste ano).


Desde já um documento para a História, já que a trajetória política de Jader se confunde com boa parte da história recente do estado do Pará e do próprio Brasil.


Há fotos históricas (como a em que ele aparece ladeado por outros dois gigantes políticos: Tancredo Neves e Ulysses Guimarães); reportagens dos tempos em que foi governador, ministro e senador, além de artigos publicados no jornal Diário do Pará.


Vou lê-lo com toda a atenção que merece.


E quero dizer ao deputado que me senti profundamente envaidecida com a delicadeza da lembrança.


Várias vezes, ao longo destas três décadas de política, Jader e eu estivemos em campos opostos – e é possível que estejamos em campos opostos outras vezes, no futuro.


Mas será sempre gratificante – e até enternecedor – constatar a reciprocidade do respeito entre nós.


E pra vocês, queridinhos, deixo a apresentação do livro do Barbalhão.


Com vocês, Jader Barbalho por Jader Barbalho:



Meu trabalho pelo Pará



Minha vida pública começou bem cedo, na companhia de meu pai, Laércio Barbalho. Ao longo de minha carreira, vivi e me envolvi com os acontecimentos políticos e históricos da vida brasileira. Dois anos antes de os militares tomarem o poder – em 1964 – eu já participava das lutas estudantis que viriam a ser a maior forma de resistência ao golpe militar.


Fui vereador, deputado estadual, quatro vezes deputado federal, duas vezes governador, duas vezes ministro, presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional, presidente regional e nacional do PMDB. Ganhei projeção estadual e nacional. Mas, tudo tem um preço, e o meu foi muito caro. Paguei o preço da inveja, da ignorância, do preconceito, da arrogância, da violência política. Tive de lutar contra os piores sentimentos e ações de grupos, não só locais, mas também os de influência nacional aos quais não me curvei. Lutei e ainda luto contra instituições que estão a serviço de uma seita chamada Mídia. Instituições que deveriam ter, exclusivamente, a responsabilidade de representar a sociedade na administração da Justiça, estão a serviço do escândalo noticioso e, ao lado de parte da imprensa, vivem de destruir biografias e aviltar cidadãos, como carrascos do atraso, da cegueira política e da estreiteza de caráter. São os fariseus de hoje.


De nada me arrependo. Das noites sem dormir, dos desafios aos poderosos, dos problemas de toda sorte. Nem de toda a perseguição e violência de que fui vítima, porque jamais procurei o consenso da minoria da minoria. A busca do homem público é sempre pelo julgamento e bem-estar da maioria da maioria. Isso eu consegui. Consegui a confiança e a solidariedade do povo do meu Estado. Sou uma liderança feita na luta e com experiência; um dos políticos mais influentes do Brasil, segundo o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), a entidade que elege os “cabeças” do Congresso Nacional.


Há um ano, resolvi escrever no Jornal Diário do Pará, para falar sobre meu trabalho e também contribuir com o debate sobre os problemas do dia-a-dia da população. Este livro reúne os artigos publicados, além de fotos e reportagens de jornais sobre a minha vida pública. Aqui está parte do meu trabalho que apresento aos paraenses, na minha caminhada rumo ao Senado Federal. Ofereço minha história para ser analisada e comparada. Tenho certeza de que sou um candidato com experiência, conhecimento, capacidade de articulação e respeito no cenário nacional e isso é muito importante na hora de arregimentar votos e apoio para programas e projetos em favor do desenvolvimento do Pará e da Amazônia.


Ao povo que sempre me apoiou eu agradeço o crédito, a amizade e a honra de ter me tornado o político da história paraense com mais tempo de vida pública. Esse é o lado bom, o que me faz melhor, me deixa feliz. Lutei e tudo fiz pelo Pará – a minha pátria – o lugar dos meus primeiros passos e, com certeza, onde vou encerrar minha vida pública.”



Pro Barbalhão. E pra todos nós que já vimos e vivemos tanto...



7 comentários:

Blog do Jeco disse...

Perereca, esse post vai dar o que falar.

Ricardo Charone disse...

Égua mana!!! Tu surtou de vez mermo!!!
Aninha para! Senão realmente o povo vai acreditar que tu estais falando sério...rsrsrs

Anônimo disse...

Tu és ridícula, triste e indigna.

Anônimo disse...

Me digas em quem se inspiras, que te direi quem queres ser

que decepção...

Anônimo disse...

É...sempre soube que o Jáder tava no apoio do teu candidato.

Anônimo disse...

Muito importante a sua defesa de opinião e a democracia.
E aos invejosos anônimos, diga como o Chacrinha: "Eu vim para confundir".
parabéns pro seu blog, por sua coragem.

Anônimo disse...

Dizer que o livro de Jader é bom, é demais. No máximo serve pra limpar aquilo na falta de papel higiênico.