Ban

segunda-feira, 29 de março de 2010

Justiça cega II

Casas de Vic em condomínio de luxo
mais baratas que Ap no Natália Lins




A casa com fachada no design “lírio”...
...no condomínio Oásis, onde Vic teria obtido sete casas por R$ 408.685,09.



E o Residencial Natália Lins, onde um apartamento de dois quartos custa R$ 60 mil: mais caro que as casas de Vic.





(Antes de ler essa postagem, leia a primeira matéria da série. Ela está aqui: http://pererecadavizinha.blogspot.com/2010/03/justica-cega-i.html )







Tão inacreditável quanto o preço de compra atribuído pelo deputado federal Vic Pires Franco (DEM) ao seu apartamento no edifício Atalanta é o valor pelo qual ele teria obtido, através de permuta, sete casas no “Oásis” – um elegante condomínio horizontal de classe média, na BR-316, atrás do Makro, na Região Metropolitana de Belém.


Em tal permuta , sustenta Vic em sua declaração de bens, as sete casas lhe foram repassadas por R$ 408.685.09 - ou exatos R$ 58.383,58 a unidade.


Quer dizer: cada casa no Oásis foi entregue a Vic por um preço inferior ao de um apartamento de dois quartos no Residencial Natália Lins, na rodovia Augusto Montenegro, que é anunciado na internet por R$ 60 mil.


Mas, não há termo de comparação possível entre o Oásis e o Natália Lins.


Nem em relação às unidades habitacionais, nem à área comum.


Para começo de conversa, o apartamento de R$ 60 mil no Natália Lins tem, apenas, 40 metros quadrados.


“Mas ele está barato. Lá no Natália Lins, a senhora vai achar apartamento até de R$ 80 mil”, diz-me um corretor de imóveis.


Já no Oásis, as casas têm 197 metros quadrados.


No condomínio, há cinco modelos de casas, todas de dois pavimentos, à escolha do cliente: Lírio, Tulipa, Orquídea, Girassol e Jasmim.

São três ou quartos, sendo um deles suíte, e uma estrutura sofisticada na área comum: piscina, clube com restaurante, sauna, sala de ginástica e quadras de vôlei, tênis e futebol.


O Oásis é, também, todo murado e possui pórtico de entrada, ruas pavimentadas e sinalizadas e uma boa estrutura interna de segurança – ou seja, segue o padrão dos condomínios horizontais de luxo da área de expansão de Belém.

Já o Natália Lins também dispõe de quadra de futebol e até de pizzaria.


Mas, pergunte a um morador do Natália Lins se dá para comparar a estrutura de lá com aquela que é oferecida pelo Oásis...


O próprio mercado imobiliário, aliás, deixa patente a enorme diferença.


Na internet, as casas mais baratas no Oásis são vendidas a R$ 365 mil – mas algumas chegam a atingir até R$ 408 mil, devido ao acabamento caprichado, em porcelanato e blindex, por exemplo.


Mais barato só se for transferência – e ela fica na faixa de R$ 170 mil.

Trocando em miúdos: o valor atribuído por Vic às sete casas que possui naquele condomínio, equivale, na verdade, ao preço de apenas UMA casa dali.


E note que o Oásis ainda está em construção – a primeira fase ficou pronta há cerca de um ano.

Veja o vídeo que a Perereca localizou no YouTube sobre o Oásis.

 E conclua você mesmo se é possível que uma casa lá fique mais barata que um Ap no Natália Lins.














Flats em São Paulo e Brasília
também abaixo do mercado


O Meliá Confort Berrini, em São Paulo...

...onde Vic teria comprado flats a menos de R$ 90 mil.




E o chiquérrimo Meliá Brasília: flat a menos de R$ 190 mil.




Outra coisa que chama a atenção na declaração de bens do deputado Vic Pires Franco é o preço dos apartamentos tipo “flat” que possui em São Paulo e Brasília.

Os de São Paulo – boa parte em hotéis da Sol Meliá, uma rede mundial de origem espanhola – estão situados em pontos nobres daquela cidade, como os Jardins (Cerqueira Cezar), o Brooklin Novo e o Itaim Bibi.

Em tais áreas, os flats anunciados na internet são oferecidos, no mínimo, por R$ 160 mil – e, em alguns casos, chegam a custar mais de R$ 200 mil.

Mas, na declaração de bens de Vic, há imóveis desse tipo que teriam sido adquiridos por menos de R$ 90 mil.

Tome-se o exemplo dos seus flats na rua Quintana, 934, no Brooklin Novo, que consta como endereço de dois desses apartamentos (há um terceiro na mesma rua, mas, na declaração de bens de Vic, não consta a numeração).

O número 934 é o do Tryp Berrini Hotel (Meliá Confort Berrini), que é um luxo só: a 10 minutos do aeroporto de Congonhas e com estrutura completa para eventos, tem piscina, TV a cabo, sauna, sala de ginástica, vaga na garagem, além de um batalhão de empregados, com recepção 24 horas, mensageiros, camareiros e manobristas.

Um flat de 30 metros quadrados, que a Perereca localizou na internet, era vendido ali, em janeiro deste ano, a R$ 160 mil.

Mas, dos três apartamentos declarados por Vic na rua Quintana, apenas um se aproxima desse valor, alcançando pouco mais de R$ 128 mil (o que, dependendo da metragem, torna-o compatível com os atuais preços de mercado, já que a declaração de bens do deputado é de 2006).

Os outros dois, no entanto, teriam sido adquiridos a um preço extraordinariamente baixo: R$ 89.245,60 cada.

Outros dois flats, na João Cachoeira, 303, uma das ruas mais badaladas do Itaim Bibi, também teriam saído baratinho ao deputado: R$ 84.634,96 cada um.

Igualmente impressionante é o valor do apartamento 1408, adquirido por Vic no portentoso Meliá Brasília: R$ 184 mil.

O blog localizou, na internet, um flat de 49 metros quadrados que está para venda no mesmíssimo edifício. Valor venal do imóvel: R$ 280 mil.



(continua)

13 comentários:

Franssinete Florenzano disse...

Vergonha nacional! O pessoal do Natália Lins devia ir se manifestar em frente à casas de Vic no Oásis e no Atalanta.
Como se vê, Ana Célia, o quase ex-deputado é mesmo um sortudo operador. Em benefício dele mesmo, é claro. O povo que se lixe.

Anônimo disse...

Mas esse rapaz é um latifundiário urbano! Como tem imóveis pelo Brasil afora! Tantos anos como deputado federal permitiram que ele amealhasse essa fortuna incalculável? Das duas uma, ou ele nunca trabalhou na Câmara Federal, ou o salário de deputado é muito maior do que a gente pode imaginar. E ainda usa dinheiro do contribuinte pra viajar com a família e amigos para o exterior!

Anônimo disse...

Amiga a resposta é simples,LAVAGEM,procure também AMX construtora do doutor Dourado ex secretário de saude. Se ele atribuir os valores corretos, o Leão cai em cima dele de pau....
AMX esta construindo vários Ed. em Belém.

Carlos Alberto disse...

Se esse Deputado conseguir outro mandado(que Deus livre o povo paraense desse mal) ele vai conseguir ser dono de Belém e mais alguns Bairros de São Paulo e Brasília!!!!!!!!

Anônimo disse...

Carlos Alberto, não é outro mandato, o certo é se ele conseguir outra secretaria de estado como a saúde onde ele ficou rico e ainda quer ser moralista.Uma vez me disseram que o Jader era fichinha diante do Vic. Pura verdade.

Anônimo disse...

nao eh a toa q ele eh deputado federal pelo 4 mandato e noix aki fufu ahuahuahua o cara eh inteligente bora tirar o chapeu e trampar!

Anônimo disse...

A Secretaria Municipal de Urbanismo – SEURB - tomou conhecimento, através da imprensa, da construção irregular na Rua Antônio Barreto, nº 945, no perímetro entre 14 de Abril e Alcindo Cacela, no bairro de São Brás. No local, um casarão centenário foi demolido, sem autorização da Secretaria, sendo preservada apenas a fachada do prédio, como forma de burlar a fiscalização do órgão. Sobre o assunto, tomo a liberdade de fazer algumas considerações, pedindo a gentileza da divulgação neste conceituado espaço:

1 - A SEURB embargou a obra e o proprietário do imóvel foi autuado e multado, por ter iniciado a obra sem os alvarás para demolição e construção. O infrator, porém, não respeitou o embargo imposto pela Secretaria e continuou a obra, como se a cidade de Belém fosse uma terra sem lei. O desrespeito começou no mesmo dia do embargo (sexta-feira) 26 de março, estendendo-se pelo sábado e domingo. Para confirmar esta informação, basta a Secretaria encaminhar ao local a mesma equipe de fiscais que atuaram no embargo da obra, comprovando que a construção foi levada adiante e o embargo violado.

- Cabe perguntar à SEURB se a desobediência ao embargo vai gerar outra penalidade ou que atitude punitiva vai ser tomada contra o transgressor recidivo.

2 - A SEURB informou ao proprietário sobre os procedimentos oportunos para regularização da obra, inclusive a necessidade de declarar o que está sendo edificado, obviamente respeitando a legislação municipal, em especial no que tange ao afastamento, área de aproveitamento, área de permeabilidade e Iost (testada).

- Espera-se que a SEURB acompanhe “in loco” se o declarado é o que de fato está sendo construído, inclusive divulgando na imprensa o memorial da obra, já que se trata de documento de domínio público.

Anônimo disse...

Outro que se descompatibilizou de suas atividades, foi o então Secretário de Saúde de Ananindeua, Hildegardo Nunes, que por motivos políticos teve sua saída anunciada na manha de hoje pelo Prefeito Helder Barbalho.
Veja mais em raizesdoananin.blogspot.com

Anônimo disse...

Isso é verdade, FALSO MORALISTA ele é muito, mas se ele um corrupto de mao cheia, tomou de assalto por onde passou, pq ninguem acha alguma coisa contra ele e arranca essa mascara logo, vc Perereca é uma q poderia fazer esse serviço pelo povo do Pará, ou nao pode???? MRC

Anônimo disse...

Isso nada mais é que crime de FALSIDADE IDEOLÓGICA - art. 299 do Código Penal Brasileiro que assim dispõe:
Falsidade ideológica

"Art. 299 - Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante:

Pena - reclusão, de um a cinco anos, e multa, se o documento é público, e reclusão de um a três anos, e multa, se o documento é particular.

Parágrafo único - Se o agente é funcionário público, e comete o crime prevalecendo-se do cargo, ou se a falsificação ou alteração é de assentamento de registro civil, aumenta-se a pena de sexta parte."

Então, se a situação fosse levada ao MPF, o resultado seria denunciá-lo à Justiça.
Qual o promotor ou procurador da República que se habilita?

Anônimo disse...

E por onde anda a justiça, a receita, a polícia federal, o ministério público, enfim, o povo dessa terra? Comeram abio?
Diante de tanta roubalheira e impunidade, por enquanto só nos resta chamar o Batman, o Homem aranha, o Chapolin Colorado...
Acorda povo!!!!

Lu disse...

Bandido!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Bruno_Philósopho disse...

É interessante discutirem isso agora, nesse tom de moralidade, ao qual todos parecem ter neste espaço. O certo é que, mesmo colocando-se todos os fatos à mesa, nenhum toma a única medida que deveria tomar que lhe cabe: cessar a sangria destes homens tirando-lhe o direito ao voto. É muito mais eficaz do que exigir moralidade (art. 37 cf) do poder público, a autoridade competente para punir este ou aquele que, valendo-se de seu cargo, faça uso em proveito próprio em detrimento do alheio, o povo que lhe paga pelos serviços.

Assim, quando Vic assinou sua sentença de morte indo-se ao encontro dos petistas antes que se fechassem-lhe as portas do mesmo petismo que acusara de malograr o caixa do estado, também buscou a ausência da luta pela política e parece ter abandonado esta terra. Feito isso, agora pretendeu sair da cidade, como que querendo mostrar seu descontentamento com as últimas ações tomadas em momento anterior ao de sei viés político. Dai para a descoberta de seus últimos lances no tabuleiro do xadrez político e econômico foi um passo. Parece que aquele antigo dito virou mesmo lei: (lei é potoca). Quem respeita a lei? Quem ainda acha que ela funciona? Onde mora a moralidade que tanto preconiza a constituição, defendida por muitos em 1988? Onde mora o civismo?

Falta-nos o óleo, não o de Lorenzo, cujos pais descobriram o remédio para prolongar sua vida diante de uma doença completamente nova, dando origem ao filme, mas sim o de peroba, usado tão somente como lustrador de móveis, a cara de pau de muitos em ludibriar a nossa boa-fé na política.

Precisamos fazer todos a nossa parte, onde nos compete tirar de cena os políticos que mais parecem ter folha corrida que biografia. São os Jáder Barbalhos da vida, que nos tiram o sono e a paz. Os dólares na cueca; Os mensalões e mensalinhos; Os sigilos quebrados... Precisamos extirpar, isso sim, os bandidos que disputam cargos eletivos sem que, para isso, seja necessário colocá-los dentro de uma cela (ou jaula, que seria mais apropriado) para que tenhamos noites de sono tranquilas, sem bandidos a nos acossar, preocupações com a saúde, se precisaremos ou não de médicos melhores, hospitais melhores, equipamentos melhores...

Precisamos, enfim, ter mais vergonha, mais parcimônia com o voto e anunciá-lo apenas depois de se ter certeza não se tratarem de um bandido ou um meliante qualquer. Pelo menos para que não tenhamos que sofrer durante 4 anos...