Ban

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Propina depreciada




Não quero defender nem o Carlos Botelho, nem o JB.


Primeiro, porque não ponho a mão no fogo por nenhum dos dois.


Segundo, porque ambos já são bem crescidinhos.


No entanto, penso que é muito esquisita essa história de que o Botelho e o Jader teriam recebido propina da construtora Camargo Corrêa, pela construção dos cinco hospitais regionais paraenses.


Ora, os hospitais foram licitados e construídos durante o governo do Jatene – que, aliás, fez questão de inaugurá-los antes do início da administração petista.


Quer dizer: a título de que essa propina teria sido paga?


Além disso, égua da propina mixuruca: R$ 260 mil para o Botelho e o PT; R$ 130 mil para o PMDB e o Barbalhão.


Ou seja, uma insignificância em relação aos R$ 300 milhões investidos nos seis hospitais regionais.


Mas será que a propina de um gigante como a Camargo Corrêa anda tão depreciada que não chega nem a 0,3% da bufunfa?


E, ainda por cima, para ser paga em prestações e dividida entre os indigitados e os partidos?


Mas não vê logo que isso é propina de quinto escalão?


É o caso de se dizer: já não se faz mais propina como antigamente.


Ou, melhor ainda: “bons tempos” aqueles do Land Rover e do Banpará...


10 comentários:

Anônimo disse...

Nobre Perereca, isso é igual aquela história tantao faz matar um ser humano ou matar vários, você será assassina do mesmo jeito. Mesmo que você ache ínfimo o valor da proprina, o mesmo não deixa de o sê-lo.

Anônimo disse...

Mas tu viraste da água pro vinho pra defender o Governo Ana; nem que pra isso defendas também o JB. Que coisa, hein. E como anda o teu dossiê Joana/Hangar/Ana. Ias detonar nem que pra isso precisasses revirar o mundo. Quando fica pronta a matéria. Estamos aguardando...

Orlando Miranda disse...

A lógica da blogueira Ana Célia Pinheiro:

"Se ainda não prenderam os ladrões antigos, então não podem prender os petralhas."

E ela ainda tenta justificar os crimes da quadrilha comparando-os ao que existe de pior na face terra.

Também é o jeito PT de ser...

Ana Célia Pinheiro disse...

Oi, anônimo das 12:32:


Também penso que roubar muito ou pouco dá no mesmo.
Mas, não estou discutindo isso.
O que estranho é o valor da propina - ou você acredita, sinceramente, que o JB se contentaria com R$ 130 mil em cima de R$ 300 milhões?
Veja bem: não estou dizendo que não houve pagamento de propina a A ou B. Não investiguei o caso, não posso afirmar nem que sim, nem que não.
Mas, desde que esse negócio começou a ser divulgado, fiquei com a pulga atrás da orelha.
Primeiro, pela licitação, construção e inauguração dos hospitais ter ocorrido no governo anterior. Segundo, pelo valor da propina, tendo em vista a magnitude do investimento nos hospitais.
Creio que é preciso aguardar pelas investigações.
Mas, que tudo isso é muito estranho, lá isso é.
Obrigada pela participação e volte sempre.
Abs, Ana Célia

Ana Célia Pinheiro disse...

Ao Anônimo da 1:42:

Já é a segunda ou terceira vez que você vem aqui com esse mesmo lári-lári.
Então, vamos fazer o seguinte: se identifique bonitinho, com CPF e RG, assuma por escrito as denúncias que você tem e me mande que eu publico - depois de checar, é claro.
O que eu tinha sobre o Hangar está aí no blog, para quem quiser pesquisar.
Não tenho tido condições de fazer reportagens investigativas - coisa que demanda muito tempo e dinheiro.
E eu, sabe como é que é, anônimo, não sou filhinha de papai e nem tenho um mandato bacanão. De sorte que tenho de me virar em três ou quatro, para sobreviver. E pra mais, sem um emprego formal.
Aliás, muitas vezes nem tenho tido tempo para atualizar este blog, como todo mundo vê, por sinal. O que tenho conseguido fazer são entrevistas, notas e artigos, coisas bem mais simples, ou, no máximo, uma pesquisa rápida e básica, via internet.
É aquela coisa: quem tem de trabalhar para viver, pena que nem sovaco de aleijado, né mermo, anônimo?
A gente sofre à beça quando tem de trabalhar de verdade, com dinheiro curto e sem um batalhão de “escravos” até para descascar uma simples tangerina...
De qualquer forma, obrigada pela participação.

Ana Célia Pinheiro disse...

Oi, Orlando:

Desculpe, mas acho que você não entendeu o que escrevi.

Não estou tentando “justificar” ninguém: apenas, me reservo o direito democrático de achar toda essa história muito esquisita, como, aliás, já expliquei acima.

Não defendo impunidade – e isso seria um absurdo até em relação a tudo o que já escrevi neste blog (se você tiver um tempinho, por favor, dê uma boa olhada nos meus arquivos).

Também não sou petista, e até já fiz umas críticas bem duras ao PT.

Apenas, como já disse, acho essa história muito esquisita, até pela minha longa experiência em reportagens investigativas.

Também não acho que o PMDB ou o Barbalhão – penso que é a eles que você se refere – sejam o que de pior existe na face da terra.

O PMDB e o Barbalhão são o que são – ou melhor, o que o eleitor permite que sejam.

Afinal, Orlando, quer se goste ou não, vivemos num regime democrático e os mandatos e espaços políticos conquistados pelo PMDB e pelo Barbalhão foram, sim, democraticamente conquistados.

Agora, se você acredita que o PSDB é que é o que de pior existe na face da terra – desculpe, mas realmente não compreendi muito bem o seu comentário – devo lhe dizer que você, novamente, se equivoca.

PSDB e PT, na verdade, representam o que de mais avançado existe na sociedade brasileira, em termos políticos.

E as falhas que ambos apresentam decorrem, muitas vezes, da falta de discussão acerca dos limites da ação política.

O que, é claro, não atenua a gravidade dos rolos em que esses dois partidos, por vezes, se metem – infelizmente!...

Mais uma vez, quero deixar isto bem claro: não defendo impunidade.

Apenas, repito, tenho todo o direito de considerar toda essa história very,very estranha, com pedaços que, simplesmente, não se encaixam.

Penso, portanto, que é melhor aguardar pelas investigações, para que esse quebra-cabeças ganhe, ao menos, alguma lógica.

Muito obrigada pela participação.

Ana Célia.

Anônimo disse...

Ei perereca sabias que o atual consultor, o botelho citado na reportagem trabalhava com o jatene no governo passado?
Ah...se tivesses tempo de investigar, de repente essa grana foi pro bolso do traíra que voltou de braços abertos para este governo do PT.
Ele está comendo dos dois lados?

Anônimo disse...

Olá Ana Célia, deixa eu te dizer uma coisa, você tá perdendo a estribeira comigo sem razão. Não sou eu que tenho denúncias contra o Hangar. Essa questão do Hangar foi você que levantou, e disse que custasse o que custasse iria desmascarar tudo o que havia de podre na atual gestão da OS no Hangar. Disse mais, que iria usar dados de uma CPI (que foi arquivada, mas os dados existiam), etc, etc. De uns tempos pra cá, 90%das suas postqagens sobre política são favoráveis ao governo do estado. Isso é um direito seu. Mas pra quem gosta de jornalismo como eu, e sabendo que vc também adora jornalismo, estava a provocar a jornalista, à espera de uma explicação racional para a sua mudança de linha editorial. Quanto ao anonimato, vc conhece muito bem o nível pré-histórico de aceitação de críticas e denúncias por parte dos governantes (atuais e antecessores) nesse estado. E já sentiu na pele os seus métodos (justamente na sua postagem e reportagem sobre o Hangar). Por isso, e por óbvio, postei anonimamente. Se você não aceita como jornalista a provocação, tô fora. Não volto mais. Magoei. Minha metamorfose ambulante me decepcionou. FUI!!!

Anônimo disse...

Ana Célia, gostei da mijada, com classe, que tu destes no anônimo da 1,42. Ele deveria é se preocupar em pagar em dia o IPTU do imóvel onde reside, como você e os outros trabalhadores, arcando com muitos sacrifícios, mas nem isto faz. Descobrimos agora graças ao trabalho de investigação da confrade blogueira Franssinete Florenzano que este senhor só paga as suas dívidas quando levado aos tribunais!

Anônimo disse...

Ana todos estão vendo que o seu Blog atualmente não V~e nada de errado no PT. Ta certo que voce não é petista, mas isto não lhe dá o direito de atualmente só criticar a oposição a esta Governadora.