Ban

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Bolsa Trabalho já beneficia mais de 60 mil jovens no Pará





Mais de 62 mil jovens já foram beneficiados pelo Bolsa Trabalho no Pará - e a idéia do governo é cadastrar outros 30 mil, no ano que vem.



Amanhã (quinta-feira), no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia, sete mil jovens receberão cartões do programa, durante solenidade que terá a presença da governadora Ana Júlia Carepa.



O Bolsa Trabalho foi criado pelo Governo do Estado em 2007 e é um programa pioneiro, ainda sem similar no Brasil – diz a titular da Secretaria de Estado de Trabalho, Emprego e Renda (Seter), Ivanise Gasparim.



Por meio dele, os jovens recebem um incentivo de R$ 70,00, por até dois anos.
Nesse período, passam por cursos de qualificação profissional e são encaminhados para inserção no mercado de trabalho.



Dos 62,3 mil jovens cadastrados pelo Bolsa Trabalho – que começou a funcionar, efetivamente, em dezembro de 2007 - mais de 40 mil já foram qualificados e 18 mil já foram inseridos no mercado de trabalho. Ou seja, quase 30% do universo inicial.



Grande parte do sucesso do programa se deve às parcerias firmadas pelo Governo, que aumentaram os "Balcões de Emprego", por todo o estado.



Através de convênio com a Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), por exemplo, os empresários expõem as suas demandas e os cursos de qualificação são formatados de acordo com as ofertas de trabalho, à semelhança do que acontece nos "colleges" americanos.



Só na semana retrasada uma rede de restaurantes contratou mais de 40 jovens formados pelo Bolsa Trabalho, todos eles oriundos das camadas mais pobres da população.



"Esse é um programa que dá oportunidades a jovens carentes, que dificilmente estariam empregados com um nível de dignidade e oportunidade de evoluir", observa Ivanise.




Bolsistas - O Bolsa Trabalho já atinge 61 municípios, em todas as regiões de integração do Pará.




Os bolsistas que concluem o curso de qualificação podem se candidatar ao mercado de trabalho, através de cadastramento no Sistema Nacional de Empregos (Sine).




Têm boas chances de sucesso: os cursos do programa são direcionados para as áreas com maior capacidade de absorção de mão-de-obra.




As informações sobre as demandas do mercado de trabalho provêm das agências de Trabalho, Emprego e Renda; da Secretaria de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (Sedect), que possui um grupo permanente de incentivo aos arranjos produtivos locais e cadeias produtivas; e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que emite relação mensal das 80 ocupações mais ofertadas pelas empresas.





(Do blog, com informações da Secom)



3 comentários:

Anônimo disse...

Ana, que esta págando a ABCB por estes serviços que estão sendo prestado a Ana Julia?

josijunior disse...

eu estou cadastrada no bolsa trabalho e ainda nao fui chamada

Anônimo disse...

Thanks for this useful article.