Ban

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

pensando




Pensando, pensando




Uma dica: se eu fosse o Mário, tiraria do ar aquele negócio de dizer que, se for eleito, serão três, do município, do Estado e da União do mesmíssimo PT.



Não vale soprar, né, deputado? Mas, como eu gosto muito do senhor, vou lhe dizer que esse negócio me provocou arrepios.



Belém é, historicamente, oposição.



E não é por qualquer motivo, não.



É porque Belém é sensata.



É a capital, cujas elites, as pessoas mais esclarecidas, temem, justamente, esse alinhamento, que tem, sim, muito de autoritário.



Esqueça o Lula, esqueça a Ana, fale do senhor.



Melhor dizendo, deixe que falem do senhor. Deixe que o programa – aparentemente descompromissado – conte a sua história.



E deixe que o pessoal daqui, as lideranças daqui, o sujeito daqui – e não o bacanão de lá de fora – falem do senhor.



Mais não posso fazer.



Voto na Valéria, apóio a Valéria.



Mas, como gosto do senhor, lhe dou, “de grátis”, essa dica...






Indo





E como já vou, vou insistir, nessa música que adoro.


Afinal, que seria do mundo sem o vermelho?

Que seria de nós, sem essa coisa que faz vibrar o peito?

A esperança!...

Um mundo, dez mil vezes, infinitamente melhor...

Um mundo sem medo. Um mundo farto... Como todo o mundo deveria de ser.

Um mundo em que o seu José e a dona Maria sejam

Tão ilustres como aquele cidadão que aparece nas fotos grandonas dos jornais.

O seu José e a dona Maria, reverenciados, homenageados

Pela imensidão que fazem e que já fizeram por todos nós.

Égua, e como são grandes, a dona Maria e o seu José!...

Mais gente do que muita gente que aparece naquelas fotografias...

O seu José e a dona Maria que nunca souberam o que é queijo, vinho, lagosta, filé, dom perignon.

E que estão lá, sobreviventes, apesar de não terem um mísero pedaço de pão...

Se lhes dão as filas, para conseguir a porcaria de um medicamento pra febre? Não importa. Lá estão eles, na fila imensa, desde as três, as quatro da manhã...

Se lhes exige um trabalhar de sol a sol? Não importa. Bem cedinho estarão lá. E, só à noitinha, é que voltarão às suas casas.

Não, o seu José e dona Maria não têm nada dessa “preguiça” que a elite costuma dizer que têm.

Como se fossem pobres por “preguiça”. Como se ser rico fosse sinônimo de gostar de trabalhar...

Afinal - e eu que me identifico com a dona Maria e o seu José, data vênia, falarei por eles, agora, né mermo?- é muito fácil dizer que se gosta de trabalhar, quando se tem lambaio pra preparar o café, lavar a louça, dirigir o carro, e fazer tudo o que signifique esforço físico, né mermo?

É muito fácil ser grande, às custas do suor, literalmente o suor, dos outros.
É muito fácil lembrar de tudo, quando se tem lambaio até pra cuidar da agenda...

É muito fácil dizer: enriqueça! A esquecer as mumunhas que se tem de fazer ou participar, para enriquecer, né mermo?

E é para os lambaios, aqueles com os quais me identifico, apesar de não ter nascido entre eles, que deixo essa música.

Porque, hoje, eu não estou, apenas, entre vocês.

Eu sou igualzinha a vocês.

Porque me fiz, graças Deus, igualzinha a vocês!...




Vermelho



A cor do meu batuque
Tem o toque, tem o som
Da minha voz
Vermelho, vermelhaço
Vermelhusco, vermelhante
Vermelhão!...



O velho comunista se aliançou
Ao rubro do rubor do meu amor
O brilho do meu canto tem o tom
E a expressão da minha cor
Vermelho!...




A cor do meu batuque
Tem o toque, tem o som
Da minha voz
Vermelho, vermelhaço
Vermelhusco, vermelhante
Vermelhão!...



O velho comunista se aliançou
Ao rubro do rubor do meu amor
O brilho do meu canto tem o tom
E a expressão da minha cor
Meu coração!...



Meu coração é vermelho
Hei! Hei! Hei!
De vermelho vive o coração
Eô, Eô...
Tudo é garantido
Após a rosa vermelhar
Tudo é garantido
Após o sol vermelhecer...



Vermelhou o curral
A ideologia do folclore
Avermelhou!
Vermelhou a paixão
O fogo de artifício
Da vitória vermelhou...(2x)



A cor do meu batuque
Tem o toque, tem o som
Da minha voz
Vermelho, vermelhaço
Vermelhusco, vermelhante
Vermelhão!...



O velho comunista se aliançou
Ao rubro do rubor do meu amor
O brilho do meu canto tem o tom
E a expressão da minha cor
Vermelho!...



A cor do meu batuque
Tem o toque, tem o som
Da minha voz
Vermelho, vermelhaço
Vermelhusco, vermelhante
Vermelhão...



O velho comunista se aliançou
Ao rubro do rubor do meu amor
O brilho do meu canto tem o tom
E a expressão da minha cor
(Vermelho!)
Meu coração!...



Meu coração é vermelho
Hei! Hei! Hei!
De vermelho vive o coração
Eô, Eô...
Tudo é garantido
Após a rosa vermelhar
Tudo é garantido
Após o sol vermelhecer...



Vermelhou o curral
A ideologia do folclore
Avermelhou!
Vermelhou a paixão
O fogo de artifício
Da vitória vermelhou...(4x)




(Chico da Silva)

4 comentários:

Anônimo disse...

Ana, você vive dizendo que escreve este blog chapada, bêbada ou ervada. E declara voto na Valéria. Acho que esta declaração tira votos da candidata em vez de ajuda-la.

Diógenes Brandão disse...

Ana, gosto de ti do mesmo jeito que vc gosta do Mário e te dou também uma dica, pára de defender a barbeie, pois ela tira teu brilho, já que a candidata bancada pelos escândalos da SESPA e que tem o marido que quer homenagear os ORM´s trocando o nome do nosso aeroporto que é justamente a consolidação de uma justa homenagem à um aviador, não agrada quem te considera uma boa escritora, mesmo bebendo, fumando ou fazendo qualquer coisa que tua consciência determine.

Anônimo disse...

E com a perereca sangrando por aí pela night... Oh god!

Anônimo disse...

A Srª Ana não vive na periferia, digo isto pq, apesar de ter nascido em "berço de ouro", morro no jurunas e vejo de "cadeira" a situação da nossa gente, no entanto algo mudou, pode até não ter mudado para Srª Ana, mas acredite mudou pro meu vizinho que apesar de morrar numa casa humilde, se é que se pode chamar de humilde , pois está toda comprometida e nos dias de chuva molha td a cama do amigo de infância do meu filho, sendo que hj este amigo faz faculdade de direito e aquela ajuda para "vagabundo" como dizem muitos foi o que ajudou o meu vizinho.
Sendo assim hj meu coração é vermelho. Que o Eterno abençõe esta Nação