Ban

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Os tambores




Até domingo!





Na próxima sexta-feira, finalmente, estarei de volta a Belém.



Bem mais centrada e em paz comigo mesma, talvez...



Mas, certamente, solta no mundo, como gosto de estar. Para abrir caminho no braço, como sempre fiz.



Nesta campanha, recebi inúmeras propostas de trabalho, bem mais do que esperava, por sinal.



E eu agradeço a todos os candidatos e às equipes de comunicação deles, que me ofereceram oportunidades tão bacanas.



Certamente, qualquer delas me permitiria fechar, com “chave de ouro”, esse tipo de participação na política, visto que, como já disse aqui, essa foi a minha última campanha.



Sou grata a todos. E sinto não ter podido atender a qualquer de vocês, que depositaram tamanha confiança no meu trabalho.



Agradeço, especialmente, ao Orly Bezerra, ao Mário Cardoso e a alguns amigos do PMDB.



Ao primeiro, por ter me concedido a honra de trabalhar com ele, inegavelmente, o melhor marqueteiro político do Pará, e que até me deixou muitíssimo lisonjeada com as seguidas demonstrações de respeito e confiança, ao ponto de querer me transformar em espécie de “olhos” dele...



Nunca vou me esquecer disso, viste, lorde Balloon?



Nem das vezes em que nos enfrentamos, tão acaloradamente (e tome-lhe bicuda!...), nem desta vez em que, afinal, nos encontramos...



Também agradeço ao Mário Cardoso, meu eterno candidato do coração...



Nesta eleição, como já disse aqui, apoio Valéria. E vou com Valéria até o fim, sem qualquer outro interesse, a não ser a melhoria das condições de vida dessa Belém que tanto amo.



Mas, tenho por Mário um carinho e uma admiração imensas.



Tenho orgulho de ter sido assessora dele. Um cidadão honesto, competente, inteligente, democrático, batalhador.



Um petista da melhor estirpe, que me quis como assessora dele, apesar de saber que eu era – como ainda sou – uma tucana amarelíssima...



E só espero é poder pegar o Mário, um dia, fora dessa correria de eleição.



Porque, tenho certeza, com um tempo maior para trabalharmos o Mário, esse extraordinário homem público não será, apenas, prefeito de Belém. Será, na verdade, é governador do Pará...



Também agradeço a alguns amigos do PMDB, que se lembraram, igualmente, de mim.



Não cito seus nomes, para não lhes trazer eventuais problemas, né mermo? Mas, fico até emocionada pela lembrança que tiveram...



No entanto, apesar de tudo, a minha decisão é me fixar, me concentrar, na Região Metropolitana.



Pensei, pensei... Me debati; me estapeei...Chorei... E até chorei a grana que vou perder e de que tanto necessito, né mermo?



Afinal, como também já disse aqui, não possuo qualquer rendimento fixo, assessoria, “asponice”, ou, ao menos, um palmo de terra no cemitério.



Mesmo assim, a minha decisão é jogar solta, na Região Metropolitana, fazendo aquilo que mais amo: reportagem.



Porque é isso o que me manda fazer o coração...



Se isso incomodará alguém, problema desse alguém. Afinal, a vida flui, apesar de todos nós.



Creio que nem preciso tocar os tambores de guerra, né mermo? Que esses, de há muito, já soaram... E só nos cabia, em verdade, a espera do tempo propício...



Tenho consciência de que enfrentarei uma parada duríssima em termos financeiros; não importa, hei-de sobreviver!...



E, ao final deste ano - que, tenham certeza, ainda trará grandes e inesquecíveis surpresas, um “grand finale”, digamos assim... - vejamos o que vale, de fato, cada qual...




FUUUIIIIII!!!!!!




Carmina Burana

(Fortuna)




O Fortuna

Velut luna

Semper statu variabilis,




Semper crescis

Aut decrescis;

Vita detestabilis

Nunc obdurat

Et tunc curat

Ludo mentis aciem,

Egestatem,

Potestatem

Dissolvit ut glaciem.




Sors immanis

Et inanis,

Rota tu volubilis,

Status malus,

Vana salus

Semper dissolubilis,

Obumbrata

Et velata

Michi quoque niteris;

Nunc per ludum

Dorsum nudum

Fero tui sceleris.




Sors salutis

Et virtutis

Michi nunc contraria,

Est affectus

Et defectus

Semper in angaria.

Hac in hora

Sine mora

Corde pulsum tangite;

Quod per sortem

Sternit fortem,

Mecum omnes plangite!




(Carl Orff)

2 comentários:

Anônimo disse...

Caramba! Tu vais de Mário Cardoso a Valéria, passando por Orly e quem mais vier. Transita com desenvoltura no céu e no inferno.
Minha senhora, tu não mereces a menor confiança!

Anônimo disse...

Mario Cardoso, governador? Pirou, perereca? Um cara que processou o Jatene por nepotísmo e nada faz contra a mesma prática da Ana Júlia? Um cara que nada fez pela SEDUC a não ser arranjar os seus... Vc diz que trabalhando vai... temos de trabalhar é p/ manter gente dessa laia longe dos governos.
E seja bem vinda!

Edson Pantoja!