Ban

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Apesar da juíza!

Apesar De Você



Amanhã vai ser outro día
Amanhã vai ser outro dia
Amanhã vai ser outro dia


Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não.
A minha gente hoje anda
Falando de lado e olhando pro chão.
Viu?


Você que inventou esse Estado
Inventou de inventar
Toda escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão.


Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia?
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar.


Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido,
Esse grito contido,
Esse samba no escuro.


Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza
De “desinventar”.
Você vai pagar, e é dobrado,
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar.


Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Ainda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria.


Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença.


E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa.
Apesar de você


Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia.


Como vai se explicar
Vendo o céu clarear, de repente,
Impunemente?
Como vai abafar
Nosso coro a cantar,
Na sua frente.
Apesar de você


Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai se dar mal, etc e tal,
La, laiá, la laiá, la laiá…….


(Chico Buarque)

Nenhum comentário: