Ban

domingo, 13 de abril de 2008

clarão

Clarão


O rochedo tem dureza
O corisco tem clarão
É do mar a profundeza
A escureza é do carvão
Toda vez que te procuro
E você me diz que não
A tristeza põe a mesa
Na palma da minha mão
Onde nasce uma paixão
Passa um rio de ilusão
Passa de brincadeira
Deixa de brincadeira
Entra na brincadeira
A vida não vai passar em vão
Natureza tem beleza
O azedo é do limão
É do rio a correnteza
A leveza é do balão
Toda vez que te perjuro
E você me dá razão
Passa um rio de incerteza
Dentro do meu coração


(Cacaso/ Olívia Byington)

Nenhum comentário: