Ban

domingo, 4 de novembro de 2007

As gentes

As gentes



Há gente que adora rir dos sentimentos alheios. Com uma leveza que nos deixa a pensar se tais pessoas conseguiram sentir, de fato, alguma coisa na vida.

Algumas pessoas rifam tanto a alma, o coração, para “se dar bem”, para “subir na vida”, para “ter ibope”, para “fazer sucesso” que parecem invejar, profundamente, quem preserva a capacidade de sentir.

É como se odiassem quem não se rende a essa luta besta por coisas efêmeras, que o tempo se encarrega de apagar...

Precisam escarrar no rosto de quem sente, até por uma questão de sobrevivência.

E não é, apenas, por bens materiais – embora pensem que é.

É porque se contentam com uma existência parasitária. E só.

A gente é o que é. Cada qual, portanto, com a sua dor.

Quem não encontra sentido na própria vida, que o procure. Que mude de estrada, de rumo. Que ouse. Ou, que aprenda a conviver com os próprios demônios.

Mas, que largue a vida dos outros, que deixe aos outros em paz.

Não é a tentar controlar a vida alheia que se tornarão melhores. Porque, melhores, jamais serão.

Nasceram e morrerão pútridos. Porque é da essência deles essa podridão.

Precisam disso para ter o que falar – em casa, nos bares, no restaurante, no cinema.

Porque, sem isso, seriam, apenas, um eterno e doloroso silêncio...

Pessoas vivem, sentem, riem, choram, sonham, amam...

Mas, essas coisas não têm, simplesmente, capacidade para nada disso.

Comem o pão sem gosto, engolem a bebida, trepam com cartão de ponto.

Que sigam assim, se é isso que pretendem ou se acham que é só para isso que servem.

Que se consumam na própria amargura.

Mas que, ao menos, não tentem infectar todo o resto do mundo com essa miséria que carregam.


P.S: Passo recibo e assino embaixo, com firma reconhecida e tudo... E aí?... Vou ao foda-se... Sempre estou pronta e disposta a ir ao foda-se... Mas, há mais alguém aí disposto a ir, também, ao foda-se?...

Um comentário:

Cris Moreno disse...

Eu tb digo "Foda-se" ... rsrs

Caramba, Ana, foi a primeira vez que escrevi um palavrão em um blog.

Isso sim é uma revolução... rsrs

Beijinhos.