Ban

quinta-feira, 5 de julho de 2007

Fábio 2

Fábio Castro e a CCS (2)




Sei que, devido à virulência de meu último post, ainda vão dizer por aí que tenho, pelo menos, três inimigos no mundo: o Baratão, a Celpa e o Fábio Castro.

Detesto o Baratão, abomino o serviço imundo da Celpa, mas, contra Fábio, não tenho, rigorosamente, nada de pessoal. Aliás, até admirei o humonemata, hupomenata, ou sei lá que hupo que ele chamou o blog dele...

A minha preocupação é que, talvez, tenha pegado pesado demais. Afinal, como me disse, certa vez, um indignado amigo, as palavras, nas minhas mãos, são como facas. E eu, por vezes, nem percebo o estrago que provocam, apesar de todo santo dia, tentar controlar essa minha agressividade visceral.

Não quis ofender Fábio Castro, mas, se calhar – e é muito provável... – ofendi.

Neste blog, ao longo de todos estes meses em que está no ar, só subi nas tamancas umas poucas vezes.

Uma, que eu lembro bem, foi em relação às pessoas que se escondiam no anonimato, para me ofender, de maneira feroz e covarde.

A outra, foi quando, realmente, perdi a compostura em relação a Celpa. Mas, creio, não há paraense que não tenha perdido a compostura em relação a essa empresinha (e eu tenho de maneirar em relação a Celpa, porque até parou de faltar luz no Norte-Brasileiro...).

Fábio, no entanto, acabou pagando o pato por vários fatores: o cansaço, o stress e uma série de problemas que atravesso, inclusive profissionais.

Mas, o que pesou, principalmente, foi a co-responsabilidade que sinto em relação ao atual governo, que, de alguma forma, ajudei a construir. Como cidadã, como jornalista.

Preocupo-me, sinceramente, com o funcionamento de uma área estratégica como é a Comunicação.

Porque sei, até por experiência própria, como são importantes a agilidade de resposta e a capacidade de operacionalizar. No dia a dia, para contornar problemas e divulgar informações positivas. E, nos momentos de crise, para evitar que se transformem em tempestades colossais.

Por experiência própria, sei o quanto a ação decidida, resoluta, ou, ao contrário, o titubear de segundos, pode construir ou destruir uma imagem, irremediavelmente.

Continuo achando que Fábio não é a pessoa certa para a coordenação da CCS. Porque é um intelectual sem a vivência do cotidiano das redações e das assessorias de imprensa. Porque pensa e debate, mais do que operacionaliza ou faz operacionalizar. Porque não possui o instinto, o timing, a organização, o respeito, a capacidade de comando que esse lugar requer.

Mas, peço-lhe desculpas, de público, pela ferocidade da ironia.

Ninguém me pediu para fazer isso.

Mas, creio que ele merece esse pedido de desculpas.

Até para que possamos recolocar o debate no nível que tem de ser travado.

E até para que, um dia, eu ainda lhe possa pagar aquele “graldão” de “celveja”...

6 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pela sua conduta.
Sempre fui seu admirador e defensor, mas continuo sentindo por você o mesmo sentimento que me acompanha nos últimos tempos.
De mágoa pelas injustiças cometidas por você contra uma pessoa que sempre lhe admirou, lhe respeitou e acima de tudo, tem honra e respeito pelo ser humano.
Mas deixa pra lá. Dizem que o tempo se encarrega de tudo na vida da gente.
Só me deu vontade mesmo de ser justo e lhe parabenizar por reconhecer um erro.
Só isso.

Ana Célia Pinheiro disse...

Queridinho:

Nós, todos, somos animais políticos - e você sabe disso.
Mas, se você é quem eu penso que seja, acredite, a admiração é recíproca.
Nada fiz que você também não fizesse, se tivesse oportunidade.
E creio que é por isso que, no fundo, no fundo, seguimos nos admirando...
Respeitamos as regras do jogo democrático. Jogamos, não impedimos ninguém de jogar. Jogamos, e que vença o melhor.
Amanhã, quem sabe, seja eu a escrever alguma coisa como o que você escreveu.
O importante é que sigamos a nos respeitar mutuamente.
Beijinhos.
E olha lá que mar bacana é esse que se abre diante de nós!...

Anônimo disse...

Ana Célia,
Não importa se você sabe ou não quem sou.
Pelas suas palavras, siceramente gostaria de ser essa pessoa. Aliviaria mais o meu coração e suas mágoas.
O que importa é que aprendi a falar com o coração, e nunca deixar de escutar a voz que vem lá de dentro da minha alma. Por isso deixei aquele comentário pra você.
Aprendi também que as pessoas não passam em vão na vida da gente.Deixam um pouco de si e levam um pouco de nós.
Vou deixar pra você um pouco de Fernando Pessoa pra ser lido e pensado nesse mar bacana que se abre diante de nós...
" Procure os seus caminhos,mas não magoe ninguém nessa procura.
Arrependa-se,volte atrás, peça perdão!
Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte !
Se perceber que precisa seguir,siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudade, mate-a !
Se perder um amor, não se perca.
Se achá-lo, segure-o !
O mais é nada "

Anônimo disse...

Gelou, né!!!

Anônimo disse...

Prezada Ana, como admiro sua personalidade forte, sua capacidade de falara o que pensa e como pensa, vim solicitar sua ajuda com as informações abaixo:

É um pedido de socorro do povo de Barcarena


A população de Bercarena está sem alternativas de sobrevivência. Cansada de ser explorada como mão de obra barata (no caso dos que não tiveram suas mãos e outras partes dos corpos mutilados em um acidente de trabalho) pelas grandes indústrias, enfrentaram há pouco um dos mais graves crimes ambientais: o derrame de caulim no rio Pará. Até hoje, poços caseiros e artesianos a serem perfurados jorram, no lugar da água, um líquido branco - caulim quase puro. Mas, essa não é a principal precupação de quem está do lado daqui do rio, ilhado elas péssimas condições de transportes e pelos altos preços das passagens até Belém. O maior desafio agora é sobreviver à pressão que a Companha Vale do Rio Doce está fazendo para tirar os moradores do Curuperé, onde será o cemitério de cinzas da Usina Termelétrica que a CVRD que impalntar em Barcarena. Tudo isso foi denunciado nas audiências publicas que o Ministério Público obrigou a Vale a fazer, a última ontem em Belém. Audiências para confundi a população mais ainda, já que não esclarecem nada e, no fim, é o lob político e as regras financeiras quem decidem se vai ser aprovada ou não.
Mas, prezado blogueiro, o mais grave de tudo isso e que me fez procurar vc como porta voz desse povo que não tem a quem recorrer é que eles só tem uma voz hoje: A Rádio Metropolitana, do deputado Wladmir Costa, abertamente candidato à prefeito daquela cidade e que tem, na rádio, seu principal instrumento eleitoral. Dia e noite Wlad trama contra a CVRD, a Prefeitura Local, "os poderosos", como bem diz ele e seus escudeiros do rádio. Só que, "o justiceiro do povo" não é bem o que o povo pensa. Dia e noite, em sua rádio, ensina o povo a cultivar o ódio, o sentimento da vingança, incentiva a justiça com as próprias mãos. Lazer, para ele, "é beber todas", "tomar um porre" para esquecer das desgraças". Cultura, religião, virtudes, são sentimentos que não tem espaço na rádio, veículo que com certeza vai elegê-lo prefeito da minha cidade, já que o padrinho dele aqui é ninguém menos que Jader Barbalho, que acaba de intervir no PMDB desta cidade e substituir o prefeito por ele na presidência do PMDB.

Mas, amos ao que interessa mesmo. Wladmir Costa, "o homem do povão", é na verdade o melhor amigo de Renann Calheiros. Pois foi fazendo lob para o ex-respeitável homem de Lula, agora sob investigação pesada, que Wlad conseguiu dele - Renan - a aprovação e permissão para funcionar sua rádio, conforme ítegra da aprovação abaixo:


LEIA:

"Faço Saber que o Congresso Nacional aprovou, e EU , RENAN CALHEIROS, Presidente do Senado Federal, nos termos do art. 48, inciso XXVIII, do Regimento Interno, promuldo o seguinte.

DECRETO LEGISLATIVO
N. 1063, DE 2005.

Aprova o ato que outorga permissão à FUNDAÇÃO BARCARENA DE COMUNICAÇÃO E ASSISTÊNCIA SOCIAL para executar serviço de radiodifusão sonora em frequência modulada na cidade de Barcarena, Estado do Pará.

O Congresso Nacional decreta:

Art. 1º. Fica aprovado o ato a que se refere a Portaria n. 5, de 20 de janeiro de 2005, que outorga permissão à Fundação Barcarena de Comunicação e Assistência Social, para executar, por 10 (dez) anos, sem direito de exclusividade, serviço de radiodifusão sonora em freqüência modulada, COM FINS EXCLUSIVAMENTE EDUCATIVOS, NA CIDADE DE BARCARENA, Estado do Pará.
Art. 2º. Este Decreto Legislativo entra em vigor na data de sua publicação.

Senado Federal, em 28 de novembro de 2005


SENADOR RENAN CALHEIROS
PRESIDENTE DO SENADO FEDERAL”

Como deve ter percebido, meu caro blogueiro, além de “chegado” ao Renan Calheiros (vale investigar se essa ligação se resume só a permissão da Rádio, Wladmir Costa também vem cometendo irregularidades em sua “Fundação”.

Não é segredo para ninguém que a Rádio Metropolitana NUNCA EXERCEU seu papel de Fundação, oferecendo serviços EXCLUSIVAMENTE EDUCATIVOS. Ao contrário, é uma RÁDIO COMERCIAL como todas as outras, até mais cara que as demais da região. E quem disse que atua SÓ EM BARCARENA ?? Espalhou-se por dezenas de outros municípios do Mara, de um lado a outro do Estado.

Veja só, nem a Rádio Cultura, que já está aí há décadas, que apesar da tendência político-partidário para o partido dos governadores que sobem ao poder a cada eleição, conseguiu uma audiência tão grande na capital BELÉM e no interior do Estado. De Igarapé Mirí à Marapanim, de Belém à Marabá...e onde mais ela chega.

Bem, se a Fundação de Telecomunicações do Pará, na época de Ney Messias Jr. (metido a sabe tudo, riquinho) conseguiu chegar tão longe, como é que, sem um papel puramente COMERCIAL a FUNDAÇÃO BARCARENA DE COMUNICAÇÃO E ASSISTÊNCIA SOCIAL chegou tão longe ???

Como filho de Barcarena, embora more em Belém por falta de expectativas de vida naquele município que não me permite salvar a vida do meu filho por não ter meios de transportes após a meia noite ou ambulâncias disponíveis e equipadas, em momentos de emergência, peço seu apoio para que a CVRD poupe nossa gente de mais um projeto catastrófico, essa Usina Termelétrica e para que Wladmir Costa, o amigo de Renan Calheiros, cumpra o que a autorização do Calheiros lhe obriga, levar informações EDUCATIVAS, esclarecedoras, prudentes, verdadeiras ao povo da minha cidade.

Favor proteger meu nome na denúncia

Anônimo disse...

eu quero achar uma pesquisa sobre um bicho predador lambaio que vive nos matos e nos acampamentos que eu tenho essa duvida...


Pode me ajudar a encontrar essa pesquisa???