Ban

sábado, 16 de dezembro de 2006

Nélio

Vamos boicotar
o blog do Barata!

Tenho imensas divergências com o Nélio – e ele sabe disso muito bem. Aliás, nem nos falar, falamos. Mas, garanto o direito de ele se manifestar nessa polêmica.

Por deferência ao Paulo, tentei tolerar o Nélio. Também sei que ele é marido de uma pessoa maravilhosa, a quem prezo muito - a Ritinha (Queridinha!) Mas, o fato, é que nossos espíritos nunca se cruzaram.

Entendo, porém, que o Nélio é um cidadão. Por isso, tem direito líquido e certo a manifestar opiniões. E fico-lhe grata, sinceramente, por escolher este espaço.

Sigamos conversando, debatendo, discutindo democraticamente. Racionalizemos o coração. Só assim, quem sabe, conseguiremos nos ver - e ao mundo – de forma mais equilibrada.

Obrigada, Nélio, pela sua importante participação neste debate. Até porque, a par das nossas divergências, reconheço em você um intelectual de fôlego:


“Tenho boas razões para somar meus comentários aos muitos que estão circulando contra o blog desse rapaz. Tenho bons motivos para engrossar a campanha contra o acesso ao blog do tal barata, o qual nunca visitei. E muito menos, agora, vou visitar.

Nunca fiz nada para esse rapaz; não lembro ter dito uma vírgula. Nem contra, nem a favor ao tal. Mas ele vive também me maltratando, segundo o que me contam, talvez só porque ocupo um cargo público.

Não me importo que me critiquem, mas não posso aceitar a ofensa, a humilhação e as acusações gratuitas.

O blog do tal barata é uma espécie de bate-pau de aluguel para os mais diversos interesses, onde se abrigam, também, desafetos que a gente nem sabe que existem, ou interesses políticos inconfessáveis. Barata (o bicho) presta-se para isso, para conduzir porcaria de um lado para o outro e contaminar tudo. Enfim, trabalho de inseto.

Maltratar o Paulo é mexer comigo também. Mais do que um companheiro de profissão, o Paulo é um irmão com quem firmei, sem palavras, um pacto de saudabilíssima convivência, fundada no que de mais sagrado pode construir uma sólida amizade: a ética.

Mais do que isso, minha relação com o Paulo é de irmão que permite o choro mútuo no ombro. Só a ética e a decência, a humildade e a sabedoria aprendidas na simplicidade da vida permitem isso.

Então, mexer com o Paulo Roberto Ferreira é mexer com o Nélio Palheta também. Principalmente porque no mesmo balde de maldades o tal barata inclui nós dois. Logo, sou a favor de uma campanha para que, pelo menos os jornalistas que se dão respeito, deixem de visitar esse blog.

Nélio Palheta"

Um comentário:

Anônimo disse...

Gosto do blog do Barata. Está aberto para o debate, que e´o que interessa e que sempre deve ser feito, principalmente agora que as coisas mudaram.