Ban

domingo, 30 de julho de 2006

Aleluia, Bezerra da Silva!

Malandro é malandro
e mané é mané!

Candidato Caô Caô


(Alô, alô, meu povo! Vai ter eleição de novo. Escolha o seu candidato certo. Não vote nesses políticos caô, caô. Cuidado, malandro, é tudo do quinto andar!)

Ele subiu o morro sem gravata,
Dizendo que gostava da raça,
Foi lá na tendinha,
Bebeu cachaça,
Até bagulho fumou.
Entrou no meu barracão
E lá usou
Lata de goiabada como prato,
Eu logo percebi é mais um candidato
para a próxima eleição

Ele fez questão de beber água da chuva,
Foi lá no terreiro pedir ajuda,
Bateu cabeça no gongá.
Mas ele não se deu bem
Porque o guia que estava incorporado
Disse esse político é safado
Cuidado na hora de votar.

Também disse
Meu irmão,
Se liga no que eu vou lhe dizer
Hoje ele pede seu voto,
Amanhã manda a polícia lhe bater.
Meu irmão,
Se liga no que eu vou lhe dizer
Depois que ele for eleito
Dá aquela banana pra você.
Meu irmão,
Se liga no que eu vou lhe dizer
Hoje ele pede seu voto,
Amanhã manda os home lhe prender.
Meu irmão,
Se liga no que eu vou lhe dizer
Depois que ele for eleito
Não arruma emprego pra você.

(Pedro Botina/Walter Meninão)


Se Leonardo Da Vinte...


Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso dar dois?

Mesmo apertando na encolha, malandro,
Pinta sujeira depois.

Levei um bote perfeito
Com um baseado aceso na mão
Tomei um sacode regado à tapa
Pontapé e pescoção
Eu fui levado direto à presença do dr. delegado
Ele foi logo gritando:
“Vai se abrindo, malandro
E me conta tudo como foi''
Eu respondi: ''Se Leonardo dá vinte, doutor,
Por que é que eu não posso dar dois?''

(A parada é essa: Aí o doutor mandou assim pro malandro. Se liga:)

''Leonardo é Leonardo'' me disse o doutor
Ele faz o que bem quer, está tudo bem
Infelizmente é que, na lei dos homens
A gente vale o que é e somente o que tem
Ele tem imunidade para dar quantos quiser
Porque é rico, poderoso e não perde a pose
E você que é pobre, favelado
Só deu dois, vai ficar grampeado no doze

(Walter Coragem/G. Martins/Bezerra da Silva)


Foi o Dr. Delegado Que Disse

Foi seu doutor delegado que disse
Ele disse assim, está piorando
Até filho de bacana, hoje em dia está roubando

E na semana passada quase perdi a patente
Só porque grampeei um rapaz boa pinta
Em Copacabana botando pra frente
Dei um flagrante perfeito mais o meu direito foi ao léu
O esperto além de ter a costa quente
Ainda era filho de um coronel

Até o comissário do dia disse assim já é demais
Vou sair na captura desse tal de satanás
O meu livro de ocorrências
A cada dia está aumentando
Eu também já prendi um pastor com a Bíblia na mão
Em um supermercado roubando.

(Pinga/ Jorge Portela/ Caboré)

2 comentários:

citadinokane disse...

Perereca,
A percepção popular da realidade é engendrada no fio da navalha, uma linha tênue separa dois mundos,um dos bacanas e o outro do veneno, andar na linha é muito difícil... daí criar as estratégias de sobrevivência num mundo tão caô caô...
Pena que no final da vida, aquele que eternizou "malandro é malandro e mané é mané" se converteu a uma dessas igrejas petecostais, aí o malandro virou mané, né?!

Carlos disse...

caro cita! mané não somos nós que entregamos nossa vidas pra cristo e sim as pessoas que dão a vida para o diabo esses sim são os verdadeiros manés. Bezerra da Silva descobriu ainda a tempo, que uma vida sem Deus não é nada e que o melhor que devemos fazer é entregar nossa vida ao Senhor Jesus! eu Profetizo em sua vida uma vida debaixo do manto sagrado e que um dia eu verei vc como um homem usado por Deus !