Ban

terça-feira, 6 de junho de 2006

Edição 06/06 - Notas

Pererecando


Pesquisa

Pesquisa não registrada no TRE e feita para consumo interno indica que, se a eleição fosse hoje, Almir teria 33% dos votos, contra 31% de Jader, 21% de Ana Júlia e 7% de Edmilson.


Daqui pra frente...

Estranho, muito estranho o festival de críticas à Companhia Vale do Rio Doce, por cinco deputados estaduais da base governista, em sessão da Assembléia Legislativa, na semana passada. De repente, os parlamentares descobriram, como disse o tucano Faisal Salmen, que a empresa, há 20 anos no Pará, tem investimentos irrisórios por estas plagas, especialmente na área social. E a deputada Tetê Santos, quase afilhada do ex-governador Almir Gabriel, deixou no ar até uma ameaça: segundo ela, o pré-candidato do PSDB já afiançou, em reunião com os deputados, que dará um tratamento “diferente” a CVRD.


...tudo vai ser diferente?

A Perereca não quer melar a festa eleitoral de ninguém, mas lembra aos tucanos a dificuldade prática de pressionar a Vale. E se ela resolver abrir o bico e contar quem foram os grandes contribuintes da campanha que elegeu o governador Simão Jatene? Aliás, conforme os documentos que o blog tem em mãos, a campanha foi financiada, em 99%, com dinheiro de empresas que ou detiveram incentivos do Governo do Estado – até o fim da farra decretada pelo STF – ou executaram importantes obras públicas, como a Alça Viária.


Disputa acirrada

Vai ser quentura a eleição para a Associação do Ministério Público do Estado do Pará (Ampep). Duas chapas estão inscritas. A primeira, “Ampep em defesa da classe”, é encabeçada por Nélson Pereira Medrado e Domingos Sávio de Campos e conta com o apoio do atual presidente da entidade, Wilson Néri. A segunda, a “União”, é comandada por César Bechara Mattar Jr. e Wilson Corrêa de Sá. Nos corredores do MPE, consta que foi articulada com a ajuda do procurador geral de Justiça. As eleições acontecem no próximo dia 23 e um dos eixos da campanha de Medrado será a necessidade de maior autonomia do MP, frente a denúncias que envolvam o Executivo. “O que nós queremos é trazer a classe para uma discussão sobre tudo isso” – afirma.


Wolgran

Falando no MPE: nesta terça, o major Walber Wolgrand protocola mais um pedido de informações, junto à instituição. Quer, em suma, que o procurador geral, Francisco Barbosa, esclareça os trâmites seguidos pelas denúncias que fez, contra o Governo do Estado e o Comando da Polícia Militar – entre elas, a de fraude em concurso público para a corporação. Para quem não se recorda, o militar protocolou, há duas semanas, pedido de destituição de Barbosa, pela não apuração dessas denúncias.


Convenções

A deputada Aracelli Lemos, do PSOL, informa que vai solicitar, nesta semana, providências do Ministério Público sobre o Centro de Convenções. A obra, que o Governo do Estado promete entregar até o final do ano, tem o custo por metro quadrado mais alto do País: R$ 3.400,00, contra os poucos mais de R$ 600,00 registrados nos 27 estados e Distrito Federal. A deputada desistiu de um pedido de CPI, que já estava pronto, depois da aprovação da Emenda da Mordaça, do pefelista Luiz Seffer, que aumentou, de 9 para 13, as assinaturas necessárias a esse tipo de iniciativa.


Alckmin

Recebo de Ruy Nogueira um artigo imperdível sobre Gabriel Chalita, secretário de Educação do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Com a deliciosa habilidade de sempre, Ruy traça um retrato demolidor dessa figura sui generis, que, a exemplo de Duzinho, possui incrível capacidade multiplicadora: em dois anos, entre 2000 e 2002, Chalita mais que dobrou o patrimônio declarado. É pra ficar de queixo caído. Leia o artigo “O precioso ridículo” no endereço
www.ruynogueira.blogspot.com


Cassação I

A Perereca acredita que o Ministério Público Federal está mais perdido que cego em tiroteio, quando o assunto é o Recurso Ordinário 904, que pede a cassação do governador Simão Jatene, por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2002. Nas várias ocasiões em que o blog procurou pessoa muito bem posta no MPF, a informação foi a de que Almir Gabriel ficaria inelegível, caso o TSE acolhesse o pedido de cassação do atual governador. No entanto, na última sexta-feira, o procurador eleitoral José Potiguar afiançou que Almir não é parte no processo – ou seja, não será alcançado pela decisão.


Cassação II

A Perereca entende que o MPF tem muito trabalho e coisa e tal. Mas acredita que, ainda assim, deveria ter mais cuidado com as informações que repassa, mesmo em off, aos meios de comunicação. Por conta dessa incorreção, me vejo obrigada a pedir desculpas aos leitores. Mas o pior é que esse fato impediu um raciocínio mais claro do tabuleiro político, até em relação à desistência de Jatene, em concorrer à reeleição.


Cassação III

O blog prefere, então, deletar o MPF e dar uma de cacique Juruna: informação, agora, só oficialmente e gravada - ou por escrito. Vai recorrer, exclusivamente, ao advogado Inocêncio Mártires, bem mais inteirado sobre o caso. Inocêncio, aliás, confirma que Almir não sofrerá nada, qualquer que seja a decisão do TSE. Isso porque o relator do processo, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Ricardo Nunes, então juiz e hoje desembargador, excluiu Almir da ação - e o MPF não recorreu.


Cassação IV

Inocêncio espera que o RO 904 seja julgado no próximo dia 20, mas só confirmará a data na quinta-feira. Já não há mais pedidos de vistas que possam ser concedidos aos réus: o prazo da última solicitação nesse sentido, feita pelo deputado Raimundo Santos, acabou nesta segunda. E na pauta do TSE só há 15 processos, entre eles o RO 904 e o Recurso Contra Expedição de Diploma (RCED) 657, que também pede a cassação do governador. O RO 904 já tem parecer favorável da Procuradoria Geral Eleitoral e o seu relator é o ministro José Delgado.


Curió

O ministro Marcelo Ribeiro, do TSE, concedeu liminar ao prefeito de Curionópolis, Sebastião Curió, que reassume o cargo nesta terça. Curió havia sido afastado pelo TRE, em processo que o acusa de compra de votos, nas últimas eleições municipais.


Tucanos

Almir levou Mário Couto a tiracolo, no último final de semana, a oito municípios do Sul e Sudeste do Pará. A parceria deve prosseguir na semana que vem e se intensificará com a aproximação do 3 de outubro. Até agora, Couto, que é amicíssimo de Almir, é o nome mais cotado para concorrer ao Senado, pelo tucanato.


Namoro I

Encontro casual em Muaná, neste final de semana, entre a senadora Ana Júlia e o deputado José Priante, dá a medida de como anda o namoro das oposições. Priante disse a Ana que o PMDB está decidido a enfrentar Almir, mas que isso só acontecerá se ela for a candidata do PT ao Governo do Estado. Ana, porém, esclareceu ao deputado que não fará nenhum movimento nessa direção, até porque o partido já tem candidato – o deputado estadual Mário Cardoso – de quem ela promete ser cabo eleitoral.


Namoro II

A pessoas próximas, a senadora tem dito que só aceita concorrer ao cargo se essa for uma decisão partidária – e desde que o apelo, nesse sentido, parta do próprio Lula. Isso porque a convicção dela é quanto à prioridade da estratégia nacional do PT, ou seja, a necessidade da reeleição de Lula, para evitar “retrocessos” no cenário político. Ela tem repetido que “nada é estático na vida”. Mas também não quer voltar a enfrentar campanhas “problemáticas”, semelhantes à última para a Prefeitura de Belém.


Governo

Fonte do blog garante que Priante está bem cotado para ser o candidato do PMDB ao Governo do Estado. Em tal cenário, Jader seria candidato a senador e a aliança com o PT aconteceria, apenas, no segundo turno. Segundo a mesma fonte, é remota a possibilidade de Jader recuar para a Câmara, com Elcione para o Senado.


Bastidores

Nos bastidores, a expectativa é que a eventual aliança entre o PT e o PMDB esteja definida ou descartada até o próximo dia 15. Na noite desta segunda-feira, o PMDB nacional esteve reunido com o presidente Lula e outras lideranças petistas. No encontro foi feito um relato da situação política em cada estado. É esperar para ver como é que ficou.


Programa

Como já era esperado, o PMDB desceu a ripa no tucanato, no programa partidário veiculado nesta segunda. Críticas, especialmente, à atuação do PSDB nas áreas de Saúde e Segurança e aos escândalos envolvendo o perdão fiscal a Cerpasa – em troca de recursos para a campanha de Jatene –, a venda da Celpa e os vultosos gastos em propaganda do atual governo. Boa parte do programa foi dedicada a comparações entre as obras realizadas pelo PMDB e pelo PSDB. Mas faltou uma pimentinha no pronunciamento final de Jader, que, para desgosto da platéia, não deixou pistas sobre o seu futuro político. Ou seja: o programa foi, francamente, de oposição, a sepultar esperanças de possível aliança com o PSDB. Mas daí a tirar outras conclusões vai enooooorme distância.


Ademir

O ex-senador e ex-presidente da CDP, Ademir Andrade, reúne, nesta terça, com advogados e lideranças do PSB para avaliar as medidas que adotará diante da liberação de diálogos gravados, pela Polícia Federal, a emissoras de TV. Ademir estuda a possibilidade de representar contra a delegada responsável pelo inquérito, junto à Justiça Federal e ao Ministério da Justiça. Ele sustenta que não fez nada ilegal e que está sendo vítima de uma campanha para destruí-lo. Na quarta-feira, Ademir levará o caso à reunião nacional do PSB.


Luto

Não poderia deixar de registrar a imensa perda causada pelo falecimento da médica Elisa Viana Sá, à sociedade brasileira. Técnica extraordinária, profundamente comprometida com a melhoria da qualidade de vida da população, Elisa teve uma atuação marcante na saúde pública. Foi tucana da melhor estirpe, porque cidadã até o tutano. Pena que Deus teime em levar gente como Elisa tão cedo – certamente, para bem juntinho do coração Dele.

Nenhum comentário: