Ban

sábado, 1 de abril de 2006

Virada da maré

Jata (égua do ‘caboco’ arretado!) jogou água fria na candidatura do ex-petista Zé Carlos Lima, hoje no comando da Casa Civil e do PV. O pau d’agua inundou a festança preparada por Zé, para o lançamento da candidatura a deputado estadual.

Que peninha!

Quem viu, diz que tinha roda de samba, churrasquinho, cerveja geladíssima (porra, Zé, nem convidas?) e até a indefectível fila de beija-mão. Espaço lotadíssimo, em São Braz, até por “companheiros” do interior. Tudo em vão (eu não te disse, Zé, eu não te disse?!).

Verde amarelo

Debaixo de toró, Zé chegou meio sem graça ao comitê. E assim permanece até hoje. Pouco antes, através da já famosa conversa-de-pé-do-ouvido, Jata convencera o “amigo” a continuar andando pelo interior. Só que em prol de causa mais nobre: a União pelo Pará.

O retorno de Jedi

Tudo porque o neo-ungido é o ex-PMDB Gabriel Guerreiro – que retorna à Assembléia Legislativa na próxima segunda-feira, 3. É ele quem disputará a cadeira pretendida por Zé Carlos, em outubro próximo.

Amigos para sempre!

Com o retorno de Guerreiro, o pefelista Paulo Roberto (que ocupou a vaga, na AL, durante um ano), volta à Santarém, já em ritmo de campanha. Junto com Deley, Guerreiro formará a bancadinha dos verdes, que, pela primeira vez, terá dois representantes na Casa.

É recompensa!

Eleito deputado pelo Baixo-Amazonas, Guerreiro acabou assumindo a Sectam, em 2003, a convite de Jata. Tocou o projeto do ZEE, mas sempre de olho no retorno a AL. O ZEE virou lei em maio de 2005. Agora, Guerreiro terá seis meses de tribuna, para ajudar na própria reeleição.

A raposa e as uvas

Não é sacanagem, não, “gentes”. Mas Jata parece ter apetite desenfreado por integrantes (e ex) do PMDB. Será jaderismo mal resolvido?


Tudo igual

Esse negócio de ficar dizendo que a permanência de Jata, no cargo, esclarece alguma coisa, é falta de ter o que dizer. Quem conhece sua excelência sabe que a hipótese do Senado nunca lhe passou pela cabeça. Assim, continua tudo como antes. Jata pode se recanditar ou engolir o mandato até o fim. E Almir continua virtual candidato. Ou ao Governo, ou ao Senado.

Sem pé nem cabeça

Aliás, especular “chapa pura” para o PSDB, com apenas a vicezinha para outro partido, é coisa que não cabe na cabeça de ninguém. O Senado tem de ser de outra legenda – nem que seja através do emplumadíssimo Leão (uau!). Porque o Governo, nem pensar. E não é só “coisa” do PSDB: nenhum partido trata o Executivo como ficha vagabunda. Por razões ululantes.


Luz del fuego

Os números em poder de Jader são animadores. Pra lá de animadores. Égua do jogo pai d’égua! O circo vai pegar fogo! E a Perereca vai a-do-rar!

Psiu!!!!!!

Que me desculpem os amigos desse tal de silêncio, mas cerveja é fundamental. A Lei Seca é, antes de mais nada, declaração de incompetência do Estado. Ainda vou falar sobre isso. Perguntinha safadinha: por que é que na Europa não tem lei seca e não há notícia de gente se matando, nos bebericos? Uma grade pra resposta mais original. Depois da meia-noite, é claro!


Pomba news

Direto do Brejo News, minha libidinosa correspondente suspira: já viste o Pomba News, comadre, em plena Internet? Que pomba exemplar! Tenra e delicada. O que não faz um checão, hem? hem?

Perereca libre!

A Perereca aceita tudo, menos misoginia. De qualquer forma, arriba, arriba! Vamos a essa suruba. Surubaço pra todos! Perereca aberta pra todos! Ô gentalha indecente!!!!! (Estou tomando todas. Et vous?)


A frase do dia: Malandro é malandro e mané é mané!

Nenhum comentário: